Um médico de 71 anos e a esposa, uma dentista de 50 anos, foram indiciados pela Polícia Civil de Minas nesta segunda-feira (3), pelo homicídio doloso de uma mulher de 60 anos que morreu em março deste ano durante procedimento na clínica do casal, localizada no bairro Prado, região Oeste de Belo Horizonte.

Conforme apurado pela equipe da 2ª Delegacia de Polícia Civil Sul, a causa da morte foi devido à aplicação de um preenchedor definitivo, conhecido como PMMA, na região do glúteo da paciente.

O produto foi aplicado pela esposa do médico, que possui formação acadêmica em Odontologia. Ao serem verificados os documentos do médico, a equipe de investigação descobriu também que ele não tinha especialização para atuar como cirurgião plástico ou dermatologista.

Além disso, em pesquisa à Vigilância Sanitária de Belo Horizonte, foi descoberto que a clínica funcionava de forma clandestina e sem autorização do órgão.

Diante das investigações, a Polícia Civil indiciou o casal por homicídio doloso, e o inquérito policial foi encaminhado ao Poder Judiciário.

 

Fonte: Hoje em Dia

COMPATILHAR: