O governador Aécio Neves e o presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, assinaram, nesta quarta-feira (9), no Palácio da Liberdade, acordo inédito para ampliação do Aprendiz Legal, programa criado para preparar e facilitar o ingresso de jovens no mercado de trabalho. O Governo de Minas será o primeiro no país a investir recursos do Tesouro do Estado no programa, há dois anos desenvolvido pela Fundação Roberto Marinho em todo o Brasil.
No ano que vem, o governo mineiro destinará R$ 1,7 milhão para qualificação profissional de 1 mil estudantes com idade entre 14 e 20 anos, matriculados na rede pública estadual. Em Minas, O programa será executado pela Rede Cidadã, entidade formada por líderes empresariais, parceira da Fundação Roberto Marinho. A partir desta quinta-feira (10), informações sobre o programa estarão disponíveis no site www.redecidada.org.br.
O governador afirmou que o Estado também decidiu se tornar parceiro da iniciativa em razão do Aprendiz Legal abrir as portas para o conhecimento, questão, segundo ele, decisiva para o êxito profissional.
Estamos dando a esses jovens um encaminhamento e a qualificação é que define o destino. Os não qualificados terão maiores dificuldades ao longo de sua vida. Estamos vendo o Brasil apontar para o futuro com um crescimento econômico sólido, mas não adianta apenas ficarmos contemplando o crescimento da economia se não tivermos as pessoas preparadas. Hoje, o Brasil já não vive o problema da ausência de vagas, mas existe ainda o gravíssimo problema de falta de qualificação dos jovens, afirmou Aécio Neves, em entrevista.
Adesão das empresas
O programa também tem importante atuação junto à iniciativa privada, incentivando empresários a cumprir o que determina a Lei Federal do Aprendizado, em vigor desde 2002. Pela lei, empresas de grande e médio portes ficam obrigadas a contratar um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários.
Estamos disponibilizando cerca de mil vagas. Temos que ampliar esse número, mas dependemos da adesão das empresas. O mais importante é que as empresas estejam estimuladas a ter entre 5 a 10% do seu número de funcionários, jovens aprendizes, disse ele.
Em seu pronunciamento, José Roberto Marinho afirmou que para ser um bom profissional no mercado cada vez mais exigente e competitivo, é preciso começar cedo a formação teórica e prática de qualidade. É o conhecimento que faz a diferença, que pode levar o jovem adiante, disse ele.
Vagas
Do total de mil vagas oferecidas, 760 serão reservadas para estudantes da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), 150 para Juiz de Fora (Zona da Mata) e 90 para Congonhas e Conselheiro Lafaiete (Região Central). Os municípios atendidos foram selecionados em razão de estarem localizados em regiões que reúnem número expressivo de empresas que demonstraram interesse em participar do programa.

Comentários