Ao contrário do que será adotado em São Paulo, o governo de Minas Gerais informou que não pretende, neste momento, aplicar a 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para toda a população. O reforço, conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) só vai ser administrado apenas em pessoas imunossuprimidas acima de 18 anos, imunização que já está sendo feita. 

Conforme o executivo estadual, a campanha de vacinação contra a doença segue as diretrizes do Ministério da Saúde que ainda não recomenda a 4ª aplicação para toda a população. Na segunda-feira (7), o ministro Marcelo Queiroga afirmou que o assunto está em discussão na pasta. A nota informativa nº3/2022, divulgada pela Secretaria Extraordinário de Enfrentamento à Covid-19, afirma que não há dados suficientes para que se faça a recomendação da dose adicional. 

Neste sentido, a SES informou que já orientou as regionais de saúde sobre o esquema vacinal a ser seguido pelos municípios. “Uma dose de reforço da vacina Covid-19 para todos os indivíduos imunocomprometidos acima de 18 anos de idade que receberam três doses no esquema primário (duas doses e uma dose adicional), que deverá ser administrada a partir de 4 meses”, detalhou a pasta em nota.

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) diz que as pessoas com alto grau de imunossupressão apresentam os seguintes diagnósticos: 

  • Imunodeficiência primária grave.
  • Quimioterapia para câncer.
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras.
  • Pessoas vivendo com HIV/AIDS.
  • Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias.
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1).
  • Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias.
  • Pacientes em hemodiálise.
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: