O duelo na noite desta quarta-feira (10) vale toda a temporada para o Atlético. Eliminado da Copa do Brasil e em baixa no Campeonato Brasileiro, o Galo tem na Libertadores a grande chance de salvar o ano. Pela frente, o Palmeiras, que tirou a equipa alvinegra da final da competição continental em 2021. O reencontro entre os times, agora pelas quartas, pode servir de revanche e de respiro para a sequência do Atlético.

Para garantir uma vaga na semifinal, o Galo precisa vencer o Palmeiras, no Allianz Parque, nesta quarta-feira (10), a partir das 21h30, coisa que o time mineiro não consegue há cinco partidas. O Alvinegro vem de três derrotas e dois empates, um deles no duelo de ida com o Verdão, na última quarta, no Mineirão. Se a partida terminar em igualdade novamente, a decisão será nos pênaltis.

A chance de isso acontecer é bastante grande, já que os últimos cinco encontros entre Atlético e Palmeiras terminaram empatados. Além do 2 a 2 no jogo de ida, os times ficaram no 0 a 0 pelo primeiro turno do Brasileirão deste ano. Na temporada passada, foram dois empates nas semifinais da Libertadores. No Allianz Parque, as equipes empataram sem gols, e no Mineirão, o jogo terminou em 1 a 1. Por ter marcado gol fora de casa, o Palmeiras avançou para a decisão, e o Galo deixou o torneio sem ter perdido nenhum jogo. No segundo turno do Brasileiro do ano passado, os times empataram novamente.

Desta vez, quem faz melhor campanha é o time paulista. Melhor na primeira fase, o Palmeiras venceu os oito jogos antes do empate com o Galo, e marcou 35 gols até aqui. O Verdão ainda busca quebrar o recorde do próprio Atlético de invencibilidade na Libertadores. A equipe alvinegra detém a marca de 18 partidas sem perder na competição, quebrada na derrota para o Tolima, na primeira fase deste ano. O Palmeiras tem 17 partidas de invencibilidade e pode ultrapassar o time mineiro se avançar no torneio.

O jogo é de “vida ou morte” para o Atlético, e o técnico Cuca declara que enquanto tiver alguma possibilidade, vai acreditar na classificação atleticana. Cuca aponta o Palmeiras como amplo favorito, mas não entrega os pontos.

“Então, você não pode pensar na tua morte antes de chegar. No dia que eu morrer, morri. Quarta, estou vivo. Minha chance é menor que a do adversário. Eles são favoritos? São. Mas estou vivo”, ressaltou.

Desde que retornou ao Galo, há três partidas, Cuca ainda não viu a equipe vencer. Para o treinador, pode ser a hora de colocar o coração na ponta da chuteira nesta decisão, para que o time volte a ter mais confiança em campo.

“Sempre aprendi que, quando não está 100% em dia a confiança, o coração é o primeiro. Se o coração vai bem, ele traz tudo junto. De repente, é trazer mais o coração para o jogo. Não que esteja faltando, mas você perguntou o que pode gerar confiança. Quem sabe é isso”, definiu o treinador atleticano.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: