A Polícia Federal (PF) intimou o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL), para novo depoimento.

Cid é delator em inquéritos que investigam o ex-presidente e tem obrigação de prestar esclarecimentos sempre que os investigadores verem necessidade.

O pai do ex-ajudante de ordens, general Mauro Lourena Cid, também foi intimado. Ele é investigado no caso das joias sauditas recebidas pelo governo Bolsonaro e supostamente colocadas à venda nos Estados Unidos.

O depoimento deve acontecer na próxima terça-feira (18), de forma presencial, na sede da PF em Brasília.

O último depoimento de Mauro Cid aconteceu em 26 de abril, quando agentes da PF estavam nos Estados Unidos e, em cooperação internacional com o FBI, investigavam o caso. Na ocasião, Mauro Cid deu detalhes sobre a negociação das joias em joalherias norte-americanas.

Nos EUA, a PF colheu imagens das transações envolvendo os acessórios valiosos e atestou a participação de mais uma pessoa no esquema apontado.

Os novos depoimentos agendados pela PF vêm após a CNN revelar o caso de uma nova peça preciosa negociada por emissários de Jair Bolsonaro. O item valioso ainda era desconhecido e foi descoberto justamente durante a viagem dos agentes aos EUA.

Esses são os últimos pontos para a PF finalizar o inquérito, que deve ser relatado ao Supremo Tribunal Federal (STF) até o fim do mês. O ex-presidente Jair Bolsonaro sempre negou estar envolvido em qualquer irregularidade.

 

Fonte: CNN Brasil

 

COMPATILHAR: