Policiais da Delegacia da Polícia Federal de Divinópolis realizam, desde terça-feira (16), operação conjunta com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para fiscalizar farmácias em Divinópolis e região. Na terça-feira, a fiscalização foi realizada em Formiga e foram apreendidos em uma farmácia medicamentos de uso controlado que estavam sendo comercializados sem o controle da Anvisa. Uma pessoa foi conduzida e liberada após prestar depoimento.
Nesta data, visando apurar suspeitas contra uma pessoa que estaria fabricando medicamentos sem autorização, a equipe de fiscalização da Anvisa, juntamente com uma equipe de policiais federais, conseguiu identificar em um bairro em Divinópolis um local onde estava sendo fabricado o medicamento Columax, indicado para o tratamento de dores musculares com funções terapêuticas.
No local, foi apreendida cerca de uma tonelada de materiais, como produtos químicos utilizados na fabricação do medicamento, assim como frascos, rótulos do produto e mais de oito mil frascos que já estavam prontos para a comercialização. O produto continha rótulo e o CNPJ com informações falsas, visando a atrapalhar a fiscalização por parte da Anvisa.
O local foi descoberto após uma equipe da Polícia Federal de Divinópolis ter realizado investigações no sentido de constatar quais as atividades do acusado . Na ocasião, foi constatado que, no andar térreo do prédio onde ele residia, exalava um forte cheiro de produtos químicos.
Após a constatação, o indivíduo, de 31 anos, foi autuado em flagrante, estando incurso nas penas do art. 273, 1-B do Código Penal, com pena de 10 a 15 anos de reclusão. Ele foi levado para o presídio Floramar, em Divinópolis. Outro detido foi liberado, pois foi constatado que ele apenas era um ajudante contratado.
Em uma farmácia no centro de Divinópolis, o proprietário de um estabelecimento foi flagrado com cerca de 20 cartelas de Viagra e 10 caixas de Cialis, sendo que os fiscais da Anvisa constataram que os medicamentos eram falsificados. Os medicamentos estavam em uma gaveta na mesa do proprietário do estabelecimento. Neste caso, o proprietário da farmácia também foi preso em flagrante, incurso no artigo 273, 1º do Código Penal. Ele também foi encaminhado ao presídio Floramar, em Divinópolis.

Comentários
COMPATILHAR: