A Polícia Civil concluiu, nesta semana, a primeira parte do inquérito policial que apura denúncias de esquema de fraude entre proprietários de pousadas e os desalojados no distrito de São Sebastião das Águas Claras, conhecido como Macacos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Ao todo, 41 pessoas foram indiciadas pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica.

A investigação começou em julho de 2021 depois de o Ministério Público denunciar possíveis desvios de finalidade dos acordos entre as empresas mineradoras, desalojados e pousadas.

Entenda o caso

Moradores e comerciantes de São Sebastião das Águas Claras deixaram casas ou negócios devido ao risco de rompimento de barragem da Vale.

A barragem está sob risco desde fevereiro de 2019, o que levou à evacuação das zonas de autossalvamento (ZAS), áreas onde pessoas podem ser direta e imediatamente atingidas em caso de rompimento.

Moradores da região foram desalojados pela mineradora e transferidos para pousadas do entorno como medida de segurança.

Fonte: Estado de Minas

Comentários
COMPATILHAR: