As temperaturas devem cair novamente nos próximos dias. Com o frio, o agasalho é imprescindível ao sair de casa, mas a população não deve se descuidar de outro item: a máscara de proteção, essencial para evitar a infecção por Covid-19. O alerta é feito por infectologistas que integram o Comitê Popular de Enfrentamento à Pandemia na capital.

Segundo os especialistas, o acessório é ainda mais necessário devido à sazonalidade das doenças respiratórias. A população tende a ficar em lugares fechados, o que facilita a circulação dos vírus.

“É importante usar máscara neste outono e no inverno. Quando entrar setembro, pode ser que mudemos o cenário. Mas devemos manter pelo menos a máscara em lugares fechados até o fim do inverno”, afirma o infectologista Unaí Tupinambás.

O também infectologista Carlos Starling diz ser necessário “reverter a imagem de que as máscaras significam restrição”. “Elas significam liberdade, porque se não fossem elas não poderíamos sair com segurança”.

O especialista afirma que o momento demanda aumento das ações de prevenção. Recentemente, o grupo de médicos informou que já há indícios de que BH enfrenta uma quarta onda do coronavírus.

A taxa de incidência da doença para cada 100 mil habitantes está próxima de 200. Há cerca de um mês, o índice era de 60, o que representa uma alta de 233%.

“Temos mecanismos para prever que a situação está piorando. Se está piorando, recomendamos que a população volte a usar máscara em lugar fechado. Se as pessoas não entenderem por sugestão, tem que ser obrigatório”, acrescenta Starling.

Para infectologistas a desobrigação do uso de máscaras foi precipitada. A flexibilização entrou em vigor no fim de abril. Na última quinta-feira, a prefeitura de BH voltou a recomendar a utilização do equipamento, como nas escolas. A decisão, no entanto, fica a critério das instituições.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: