A concorrência desleal dos produtos chineses e os altos impostos pagos ao governo pelos empresários têm minado a produção de fogos de artifício em Santo Antônio do Monte. A queda nas vendas já está causando demissões de funcionários e prejuízos para os fabricantes de explosivos que estão apreensivos.

Em uma fábrica, 130 funcionários produzem cerca de cinco mil caixas de fogos de artifício por dia, mas a produção tem ficado parada no estoque. As vendas deste ano caíram mais de 30%. Um setor que produzia fogos em cores foi desativado e 35 funcionários foram demitidos.
Santo Antônio do Monte é o maior polo produtor de artigos pirotécnicos do Brasil. A cidade, junto com outras sete da região Centro-Oeste, já chegou a produzir mais de 30 mil toneladas por ano, mas em 2011, de acordo com o Sindicato das Indústrias de Fogos do Estado, essa produção deve cair cerca de 50%.
As importações brasileiras cresceram nos últimos anos. Os produtos chegam da China que é o maior produtor de fogos do mundo com preços até 50% menores. No segundo semestre do ano, uma fábrica já chegou a produzir 25 mil bombinhas por mês, hoje, são apenas duas mil unidades. E o quadro de funcionários foi reduzido em 40% e deve haver ainda mais demissões. Em uma região onde mais de 60% da economia gira em torno da produção de fogos a situação é preocupante.

Fonte: Mega Minas

Comentários
COMPATILHAR: