As provas do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa), realizado pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE), serão aplicadas em todo o Estado a partir desta segunda-feira (23), até o dia 27 de agosto. Todos os alunos que estão cursando o 3º ano do ensino fundamental nas escolas públicas de Minas devem participar da avaliação. Também serão avaliadas as crianças matriculadas nos 2º e 4º anos do ensino fundamental, por amostragem, e ainda aquelas que apresentaram baixo desempenho na última avaliação, em 2009. As provas serão aplicadas no horário das aulas.
A avaliação do Proalfa identifica os níveis de aprendizagem em relação à leitura e à escrita dos alunos e é parte da estratégia da Secretaria de Estado de Educação para alcançar a meta de que em Minas toda criança saiba ler e escrever até os oito anos de idade. O intervalo entre a aplicação dos testes e o resultado possibilita ações de intervenção na aprendizagem. O número de alunos com notas de nível considerado recomendado já saltou de 48,7%, em 2006, para 72,6% em 2009, na última edição da avaliação.
O Proalfa é censitário para os alunos do 3º ano (oito anos de idade) e amostral para os do 2º e 4º anos. A avaliação censitária é nominal e identifica o nível em que se encontra cada aluno e possibilita intervir em sua aprendizagem de forma pontual e individualizada, se necessário. A amostral produz indicadores de alfabetização para subsidiar o processo de intervenção pedagógica na escola.
Em 2009, todos os municípios aderiram ao Proalfa. O programa, realizado desde 2005, foi desenvolvido por meio da parceria entre a Secretaria de Estado de Educação, o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e o Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O Estado é precursor na construção de instrumentos de avaliação testados e aperfeiçoados, cujos resultados estão aptos a serem utilizados pelos gestores e professores na melhoria do processo de alfabetização.

Comentários