Pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Municípios aponta que mais da metade das cidades brasileiras enfrentam resistência da população em relação à vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19.

O estudo também mostra que praticamente todas as Prefeituras que participaram não registraram efeitos adversos graves após a aplicação das doses pediátricas. 

O trabalho foi feito entre 14 a 17 de fevereiro de 2022, com a participação de 2.193 prefeitos, o que representa 39,4% das cidades do país. Conforme o estudo, 1.308 gestores, que corresponde a 59,6%, relataram que há dificuldades com a imunização infantil em função da resistência dos pais. Em 809 prefeituras, 36,9% das entrevistas, não foram observados empecilhos, de acordo com a confederação. 

Em relação ao registro de reações adversas graves após a aplicação da vacina em crianças, 94,4% dos prefeitos de 2.070 cidades disseram que não houve casos do tipo. A situação, segundo a pesquisa, só ocorreu em 3,3% dos municípios, um total de 52. 

Vacinação 

Em mais um dado que comprova a eficácia das vacinas utilizadas, a pesquisa também mostrou que, entre os dias 14 e 17 de fevereiro, quando algumas cidades ainda enfrentam os efeitos da transmissão elevada da variante ômicron, não ocorreram hospitalizações por Covid-19 em 865 municípios, 39,4% do total.

Em 621 prefeituras, 28,3% entre todas as entrevistadas, houve estabilidade nas internações. Só houve aumento na demanda hospitalar em 16,7% das cidades que responderam ao estudo, conforme a confederação. 

Carnaval 

Outro vetor da pesquisa foi sobre o carnaval. A folia em eventos particulares e públicos foi cancelada em 46,1% das cidades. Já em 24,5% dos municípios houve o cancelamento após de festas públicas, mas os shows privados estão mantidos, mesmo cenário observado em Belo Horizonte. 

Na capital, ao menos duas grandes programações estão na agenda em fevereiro: o Carnaval do Mirante, no Bairro Olhos D’Água (Oeste); e o We Love Carnaval, no Expominas (Oeste), que contará com atrações como Thiaguinho e Gusttavo Lima. 

Apenas 3% dos prefeitos disseram que pretendem manter a festividade, enquanto 25,1% ainda não tem uma definição sobre o tema. 

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: