O último reajuste da Petrobras no preço da gasolina nas refinarias foi em 11 de março de 2022. De acordo com dados do Observatório Social da Petrobras (OSP), na data citada, houve um aumento de R$ 0,61. Mais de 70 dias após o registro da alta, o preço do combustível continua se elevando, e a considerar o repasse da defasagem da paridade internacional, a tendência é que o valor não seja reduzido.

Para determinar os preços dos combustíveis, a Petrobras adotou, em 2016, o Preço de Paridade de Importação (PPI). O índice é o controlador de preços cobrados nas refinarias que segue as flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e do câmbio.

As constantes altas, estariam preocupando o poder político que tenta conter a disparada do valor dos combustíveis no Brasil. Como consequência, o Ministério de Minas e Energia anunciou, nessa segunda-feira (23), a demissão de José Mauro Ferreira Coelho, após 40 dias na presidência da Petrobras. O substituto indicado pelo governo é Caio Mário Paes de Andrade, auxiliar do ministro Paulo Guedes no Ministério da Economia.

Preços em Minas 

Em Minas, na primeira quinzena de maio, a gasolina subiu 0,3% nas bombas, no comparativo com abril último: de R$ 7,79 para R$ 7,81. Nacionalmente, a gasolina é vendida, em média, a R$ 7,55 – 3,4% mais barata que o preço mineiro de R$ 7,81. Houve alta de 0,7% no preço mediano em relação à abril, sendo que apenas cinco estados baixaram suas cotações (Rio Grande do Norte, Pernambuco, Maranhão, Alagoas e Tocantins).

 

 

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: