Silas Malafaia entrou em defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), diante do julgamento marcado para o próximo dia 22 de junho, preparado pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em virtude dos ataques ao sistema eleitoral brasileiro durante uma reunião com embaixadores, em julho de 2022.

O pastor, que é líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, teria afirmado que pretende entrar em greve de fome para defender o político e amigo, que caso seja condenado, pode se tornar inelegível para qualquer disputa em cargo público nas próximas eleições.

“Não aceitarei cassação nenhuma dia 22, querem impedir esse varão de se candidatar para ajudar os pobres desse país, como faz a mais de 30 anos, não aceitarei, farei uma greve de fome feroz, posso até morrer, mas não vão cassar Bolsonaro…”, disse o Silas Malafaia, de acordo com o perfil ‘Na Mira do Repórter’, no Twitter.

A relação entre Silas Malafaia e Bolsonaro sempre foi de grandes amigos e aliados no ramo político. Mais recentemente, inclusive, o religioso entrou em defesa do ex-presidente sobre o escândalo das joias, e garantiu que não houve tentativa de furto por parte do político, e da sua esposa, a ex-primeira dama Michelle Bolsonaro.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: