Um tiroteio foi registrado na avenida Paulo Lins, no Centro de Formiga, na noite dessa quinta-feira (10), por volta das 22h, e deixou uma pessoa morta e outra ferida.

Informações oficiais, repassadas pelo Tenente Valadão, são de que o crime ocorreu quando um taxista parou no posto de Combustíveis Zema, momento em que o passageiro abriu a porta do veículo e atirou contra o taxista que tentou se proteger, mas foi atingido na perna. Ainda assim, ele saiu do veículo e se escondeu em uma sala do posto, onde pediu socorro.O autor dos disparos é Carlos Henrique de Souza, de 29 anos.

O taxista e o suspeito foram socorridos pelos homens do Corpo de Bombeiro, mas Carlos morreu antes de chegar ao Pronto Socorro da cidade. O taxista foi atendido e segue internado na Santa Casa de Formiga e o quadro de saúde dele é estável.

De acordo com a Polícia Militar, o taxista informou que teria levado Carlos Henrique até uma boate no município de Córrego Fundo e que depois retornaram à Formiga.  Carlos Henrique queria que o taxista o levasse até a comunidade rural de Papagaios, o que inicialmente foi negado, sob a alegação de compromissos.

Em razão da negativa, Carlos intimidou o motorista para que o levasse, tendo colocado a mão em sua pochete, momento em que o taxista percebeu a presença de uma arma de fogo.

O condutor, alegando a falta de combustível, deslocou até o Posto Zema, situado próximo ao Estádio Juca Pedro, onde a equipe do  Formiga Esporte Clube (FEC)  enfrentava o  Mamoré, pelo Módulo II do Campeonato Mineiro. Devido ao grande número de pessoas no estádio, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros faziam a segurança do local.

Após disparar contra o motorista do táxi, Carlos fugiu com o revólver na mão, sentido ao portão principal do campo, local onde havia policiais militares com uma viatura posicionada de forma ostensiva.

Simultaneamente, os policiais, ao ouvirem o barulho dos disparos de arma de fogo, foram em direção ao Posto Zema, deparando-se com Carlos. Nesse momento, um dos militares ordenou que ele largasse a arma.  Carlos além de não acatar a ordem, efetuou diversos disparos contra os policiais militares.

Os  militares  fizeram uso de  armamento, com a finalidade de conter Carlos que  foi atingido no rosto e caiu ao solo.

Segundo testemunho de leitores do portal, muitos veículos estacionados nas proximidades do estádio foram atingidos por tiros.

Matéria atualizada às 16h45 de 11/03

No local do crime ficaram as marcas de sangue dos feridos. Um acabou morto pela polícia.

 

Fonte: Da Redação||

Comentários