O vazamento de monóxido de carbono provocou a intoxicação de cinco funcionários de uma siderúrgica no bairro Icaraí, em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, nesse domingo (18). O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), levou duas delas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Outras três recusaram hospitalização e deixaram o local.

Equipes da própria empresa conseguiram conter o vazamento. Conforme o CBMMG, o vazamento de monóxido de carbono ocorreu do alto do forno da siderúrgica.

As vitimas estavam deitadas no chão quando os militares chegaram, e todas queixavam-se de vertigem, enjoos e dores de cabeça.

 

Vazamento e o monóxido de carbono

De acordo com os bombeiros, o monóxido de carbono é um gás incolor, inodoro e extremamente perigoso, especialmente em situações de incêndio. Para bombeiros, que frequentemente enfrentam ambientes com fumaça densa, o risco de exposição ao monóxido de carbono é significativo.

O gás é rapidamente absorvido nos pulmões e se liga de maneira estável à hemoglobina no sangue. Isso pode levar à formação de carboxihemoglobina, diminuindo assim a capacidade do sangue de transportar oxigênio para os tecidos do corpo. Pode levar a graves complicações sérias, como hipóxia e até mesmo a morte em casos graves de intoxicação por monóxido de carbono”, explicaram os militares.

O Corpo de Bombeiros alertou para outros profissionais que enfrentam incêndios e tenham contato com o gás para a importância de usar equipamentos de proteção respiratória adequados. Além disso, para verificar a ventilação adequada do ambiente. Assim, minimizando a exposição ao monóxido de carbono.

 

Fonte: Portal Gerais

COMPATILHAR: