Um vendedor de bala, de 29 anos, foi preso nessa terça-feira (9) suspeito de fingir se passar por policial civil em Belo Horizonte. O homem utilizava a falsa profissão para se relacionar com mulheres e extorqui-las. Várias vítimas acusam o suspeito de filmar e postar vídeos íntimos de mulheres em redes sociais.

Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10), o delegado Alessandro Santa Gema, da 4ª Delegacia de Polícia Civil, informou que a investigação estava em andamento desde 2022 e faz parte da segunda fase da operação ‘Don Juan’.

O suspeito usava fardamento da polícia e, com isso, conseguia acesso em casas noturnas, estádios e restaurante sem pagar. Além disso, ele se envolvia com várias mulheres e filmava as relações sexuais, muitas sem consentimento.

No celular do homem a polícia encontrou 160 vídeos íntimos. Ele postava esses vídeos em um grupo nas redes sociais, onde vários homens faziam o mesmo. E caso as mulheres, que se relacionavam com ele, quisessem terminar, ele as extorquia pedindo dinheiro ou favores sexuais pra não divulgar os vídeos.

‘Ele é uma pessoa que tem um bom diálogo e boa aparência. As vítimas deles são de perfis variados, desde mulheres jovens até de meia idade com boa formação, ele sempre procurava pessoas de boa formação’, afirmou o delegado.

Quatro mulheres denunciaram o vendedor de balas. A última vítima registrou uma ocorrência no dia 18 de março. O suspeito filmou a mulher e a expôs em diversos grupos de conversas.

O homem será indiciado por usurpação de função pública, registro não autorizado de cenas íntimas e também divulgação de cenas íntimas em ambiente virtual. Ele tem histórico de furtos de celulares no centro da capital, violência doméstica e receptação.

 

 

Fonte: Itatiaia

 

COMPATILHAR: