A Federação Internacional de Automobilismo manteve uma multa de 100 mil dólares imposta à Ferrari, mas não vai aplicar qualquer outra punição à equipe pelo episódio da ordem de equipe no GP da Alemanha em julho, informou um dirigente do automobilismo italiano nesta semana.
Angelo Sticchi Damiani, presidente da Federação Italiana de Automobilismo, disse que o Conselho Mundial de Automobilismo da FIA decidiu por unanimidade não impor nenhuma punição adicional.
Os fiscais da prova em Hockenheim multaram a Ferrari em 100 mil dólares por terem considerado que a equipe mandou o brasileiro Felipe Massa dar passagem para seu companheiro Fernando Alonso vencer a prova.
A decisão é um alívio para Alonso, cujas esperanças de título poderiam estar terminadas se a FIA optasse por punir o espanhol, que está em quinto lugar na classificação, a 41 pontos do líder Lewis Hamilton, da McLaren.
A Ferrari está em 3º no Mundial de Construtores, 80 pontos atrás da Red Bull, e poderá competir normalmente no Grande Prêmio da Itália, em Monza, no próximo domingo.
Há aqueles que defendam a legalização das ordens de equipe, já que elas fazem parte da Fórmula 1 desde o início da categoria, em 1950. Outros argumentam que as regras devem ser respeitadas e que encorajar a manipulação dos resultados abertamente seria quebrar o espírito justo da competição.

Comentários