O ex-policial e fundador do preparatório AlfaCon – cursinho preparatório para concursos , Evandro Bittencourt Guedes viu seu rosto viralizar novamente nessa segunda-feira (4). Isso porque um registro de 2009, em que ele incita a violação de cadáveres de mulheres, foi resgatado e voltou a ser amplamente compartilhado pelas redes sociais.

De forma grotesca e reconhecendo estar falando sobre cometer um crime, o professor minimiza o ato de necrofilia ao falar sobre vilipêndio de cadáver para alunos. Em certo momento, ele aconselha que, em caso de rigidez do cadáver, faça-se o uso de secador de cabelo para aquecer o corpo, segue dizendo que aquele dia pode ser o “mais feliz” da vida deles e ainda debocha do pai da possível vítima.

Em 2020, a empresa AlfaCon alegou que Guedes havia deixado a escola. No entanto, o ex-policial e professor aparece em anúncios recentes da empresa, segundo o UOL. De acordo com o artigo 212 do Código Penal Brasileiro, a pena prevista para o ato é de três anos de detenção e multa.

 

Veja na íntegra o que o professor disse:

Imagina, filho, você que é virgem. Você passa num concurso de técnico de necropsia de nível médio. Aí você tá lá e vem uma menina do ‘Pânico na TV’ morta. Meu irmão, com aquele rabão, e ela enfartou de tanto tomar bomba, enfartou na porta do necrotério. Duas horas da manhã, não tem ninguém. Você bota a mão: ‘hmmm, quentinha ainda’. O que você vai fazer? Vai deixar esfriar? Meu irmão, eu assumo o fumo de responder pelo crime. Meu irmão, o difícil vai ser você arrumar uns travesseiros porque c**er ela de bruços não dá. Tem que botar de quatro. Então, você bota um monte de travesseiros. Bota ela toda torta lá, irmão. Daquele jeito, ela fica meio durinha. Vai assim, e só por Deus, cara. Como vai endurecendo tudo, deve ficar bom demais. E come até a parte da manhã“, discorre Guedes.

 

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: