“Com 2 a 1 no placar, faltando nove minutos para o fim do jogo, os argentinos gritavam “olé”, quando Messi perdeu a bola para Copam, no meio de campo, originando o empate da França, que acabou levando a decisão para a prorrogação e pênaltis.

Felizmente para Messi, a Argentina conquistou o título e ele se confirmou como o grande herói da Copa e do país. Caso a França tivesse sido a campeã, coitado dele. Jamais seria perdoado.

Coman, “herói” francês até aquele momento, perdeu a sua cobrança na decisão, virou “vilão” e alvo de ataques racistas após a conquista argentina.

Assim é o futebol, assim é a vida.

Coincidentemente o Procópio Cardoso se lembrou ontem, 19 de dezembro, que era aniversário do Hélio, 79 anos, carioca, que fez história no Atlético (1966/1970) e depois no Cruzeiro (1971/1976).

Uma grande vítima do destino e das paixões que movem o futebol, por causa de uma foto:

Procópio Cardozo @procopiocardozo

* “Por causa dessa foto que o Hélio parece estar rindo disseram que ele se vendeu e mandaram ele embora do Atlético. Fui na casa do Felício Brandi, que me garantiu que era mentira. Então falei “me prove, contrate-o”. Fez mais de 200 jogos pelo Cruzeiro. Hoje é o seu aniversário.”

A propósito, estou tentando descobrir o nome do brilhante autor dessa foto. Nos tempos em que a perspicácia e rapidez do fotógrafo falavam mais alto do que a velocidade e facilidades que as atuais câmeras propiciam.

Já pedi socorro ao Jorge Gontijo, dos grandes fotógrafos da história do nosso jornalismo, que pertence àquela geração, atual editor do Estado de Minas.
Se é que essa reação pode ser chamada de “sorriso”, foi daqueles irônicos, tipo “esses caras são brincadeira”, se referindo tanto ao ataque fenomenal do Cruzeiro quanto à lerdeza dos companheiros de defesa dele naquele terceiro gol.

Este jogo foi o segundo da decisão do Campeonato Mineiro de 1967, quando o Cruzeiro conquistou o tricampeonato. Venceu o primeiro por 3 x 1 e este, por 3 x 0.

Dia 21 de janeiro de 1968
Mineirão
Árbitro Armando Marques, auxiliado por Eraldo Gôngora e Wilson Medeiros, da Federação Paulista de Futebol
Público pagante: 79.981
Renda: NCr$ 236.996,00
Cruzeiro: Raul; Pedro Paulo, Vicente, Procópio e Neco; Zé Carlos e Dirceu Lopes; Natal, Evaldo, Tostão e Hilton Oliveira. Técnico: Orlando Fantoni
Atlético: Hélio; Canindé, Vander, Grapete e Décio Teixeira; Vanderilei Paiva e Amauri; Buião, Ronaldo, Lacy (Beto) e Tião. Técnico: Fleitas Solich

Gols de Tostão, aos 41, Dirceu Lopes, aos 45 (primeiro tempo) e Evaldo, aos 22 do segundo tempo.”

 

Créditos: Reprodução/Blog do Chico Maia

 

Fonte: Blog do Chico Maia

 

COMPATILHAR: