O assassino de 18 anos que matou 10 pessoas e deixou outras três feridas em um supermercado de Buffalo, no estado de Nova York, chegou a transmitir o crime ao vivo na plataforma Twitch, conhecida por realizar transmissões online. Ele foi identificado como Payton Gendron e está preso.

Em comunicado à agência Associated Press, o serviço de streaming afirmou que “encerrou a transmissão de Gendron menos de dois minutos após o início da violência”. O crime foi registrado nesse sábado (14).

A governadora de Nova York, Kathy Hochul, nativa de Buffalo, pediu que a indústria de tecnologia assuma a responsabilidade por seu papel na propagação do discurso de ódio em uma entrevista neste domingo (15) à ABC.

“Os CEOs dessas empresas precisam ser responsabilizados e garantir a todos nós que estão dando todos os passos humanamente possíveis para poder monitorar essas informações. Como essas ideias depravadas estão fermentando nas mídias sociais – está se espalhando como um vírus agora”, disse ela, acrescentando que a falta de supervisão pode levar outros a imitar o atirador.

 

Investigação

Agentes federais conversaram com os pais do assassino e cumpriram vários mandados de busca. As autoridades tentam confirmar a autenticidade de um manifesto de 180 páginas que foi postado online, que detalhava a trama e identificava o criminoso.

A principal suspeita é de que o crime foi motivado por ódio racial. Uma investigação preliminar descobriu que Gendron visitou repetidamente sites que defendem ideologias de supremacia branca e teorias da conspiração baseadas em raça e pesquisou tiroteios em mesquitas, de 2019, em Christchurch, Nova Zelândia, e o homem que matou dezenas em um acampamento de verão na Noruega, em 2011.

Não ficou claro por que Gendron viajou cerca de 320 quilômetros de Conklin, Nova York, para Buffalo e escolheu aquela mercearia em particular, mas os investigadores acreditam que ele pesquisou especificamente a demografia da população ao redor do Tops Friendly Market e estava procurando por comunidades com um grande número de residentes afro-americanos.

O mercado fica localizado em um bairro predominantemente negro.

“É demais. Estou tentando testemunhar, mas é demais. Você não pode nem ir à maldita loja em paz”, disse Yvonne Woodard, moradora de Buffalo, à AP. “É simplesmente louco.”

Em uma entrevista também neste domingo à ABC, o comissário de polícia de Buffalo, Joseph Gramaglia, disse que Gendron esteve na cidade “pelo menos no dia anterior”.

“Parece que ele veio aqui para explorar a área, para fazer um pequeno trabalho de reconhecimento na área antes de realizar seu ato maligno e doentio”, disse Gramaglia.

A polícia disse que Gendron atirou, no total, em 11 negros e dois brancos no sábado. Capturas de tela supostamente da transmissão do Twitch parecem mostrar um epíteto racial rabiscado no rifle usado no ataque, bem como o número 14, uma provável referência a um slogan de supremacia branca.

“Oramos por suas famílias. Mas depois de orarmos – depois de nos levantarmos – temos que exigir mudanças. Temos que exigir justiça”, disse a procuradora-geral do estado, Letitia James, em um emocionante culto religioso em Buffalo na manhã de domingo.

“Isso foi terrorismo doméstico, puro e simples.”

Vítimas

Entre os mortos estava o segurança Aaron Salter – um policial aposentado de Buffalo – que disparou vários tiros contra Gendron, disse Gramaglia no sábado. Uma bala atingiu a armadura do jovem, mas não teve efeito. Gendron, então, matou Salter, antes de caçar mais vítimas.

“Ele se preocupava com a comunidade. Ele cuidava da loja”, disse Yvette Mack, que havia feito compras na Tops no início do sábado, sobre Salter. “Ele fez um bom trabalho, você sabe. Ele era muito legal e respeitável.”

Também foi morta Ruth Whitfield, 86 anosmãe do comissário aposentado dos bombeiros de Buffalo, Garnell Whitfield.

O prefeito de Buffalo, Byron Brown, disse aos fiéis que viu o ex-bombeiro no local do tiroteio no sábado, procurando por sua mãe.

“Minha mãe tinha acabado de ir ver meu pai, como faz todos os dias, na casa de repouso e parou no Tops para comprar apenas alguns mantimentos. E ninguém ouviu falar dela”, disse Whitfield ao prefeito na época. Ela foi confirmada como vítima no final do dia, disse Brown.

Katherine Massey, que tinha ido à loja para pegar alguns mantimentos, também foi morta, de acordo com o Buffalo News. Os nomes das demais vítimas não foram divulgados.

Fonte: G1

Comentários