O secretário executivo da Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago), Fausto Costa, em companhia do vice-prefeito da cidade de Cristais, Leonardo Luiz Oliveira, acompanhou no dia 8 de março, o presidente da Alago, professor Djalma Francisco Carvalho, em visita feita ao Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

O grupo defendeu junto à autoridade a tese comprovada da necessidade de manutenção da cota mínima 762, para o lago de Furnas, sem a qual, disseram eles: “fica totalmente inviabilizado o sonho de se fazer do maior lago artificial das Américas, um importante polo turístico, além de se decretar a morte de uma enorme série de empreendimentos diversos, que deixarão de gerar emprego e renda. Todos dependem, como ocorreu nos 40 anos anteriores, da manutenção de um nível aceitável das águas, para continuarem a se manter econômica-social-ambiental e financeiramente.  O que é, inclusive constitucional quando ela (a Constituição) nos garante o direito de multiuso das mesmas”.  

Na mesma oportunidade, fizeram um relato sobre o sofrimento imposto a Minas Gerais, em especial, na última década quando houve o premeditado esvaziamento do lago. Mostraram ao ministro que tecnicamente o que pleiteiam é factível, bastando que  os órgãos reguladores adotem um novo  e mais racional direcionamento na gestão das águas.

O respeito à Constituição Mineira se dará plenamente com uma simples medida, legal e possível, que pleiteamos junto a ANA – qual seja: a revisão das outorgas de Furnas”, disseram.

Ao final, convidaram o ministro para vir pessoalmente a esta importante região do estado de Minas para verificar, in loco, que no entorno desta imensidão de águas existem paisagens belíssimas e oportunidades mil para o desenvolvimento da indústria turística, atraindo investimentos, turismo receptivo e, certamente, abrindo o leque de milhares de oportunidades intimamente ligadas aos interesses da pasta por ele gerida.  O convite foi aceito e, em breve, a região deverá receber a importante visita.

COMPATILHAR: