Mesmo antes de o juiz apitar o início do jogo, o clássico entre Atlético e América, nesta quarta-feira (13), já é histórico. Pela primeira vez, as duas equipes se enfrentam em uma partida pela Copa Libertadores. Além disso, esse é o primeiro clássico mineiro da história da competição continental. O confronto será às 21h, no Mineirão, e é válido pela segunda rodada do Grupo D.

As duas equipes chegam em momentos bem diferentes para o duelo. Enquanto o Atlético, campeão mineiro, vem embalado por uma ótima fase, o América, estreante no torneio, passa por uma fase conturbada, com derrotas e troca de treinador. O Galo venceu seu jogo de estreia, fora de casa, por 2 a 0 sobre o Tolima. Já o Coelho iniciou o torneio com derrota para o Independiente Del Valle, também por 2 a 0, no Independência.

Tabu

O América precisa de uma vitória para alcançar o Atlético na tabela. Mas, para isso, o Coelho tem que quebrar um tabu que já dura 19 partidas de invencibilidade atleticana. São 14 vitórias do Galo e cinco empates, com 34 gols marcados e apenas oito sofridos. A última vitória do América sobre o rival foi em maio de 2016, no primeiro jogo da final do Mineiro daquele ano.

Outra preocupação do América é sobre um dos pontos mais fortes do Atlético. No Mineirão, o Galo está invicto há 34 partidas, com 31 vitórias e apenas três empates. O Coelho terá que quebrar essas duas escritas alvinegras para se recuperar.

Além da derrota na estreia da Libertadores, o Alviverde não vive bom momento. O time não chegou às finais do Mineiro, perdeu também na estreia do Brasileirão, que culminou na saída do técnico Marquinhos Santos. A diretoria se movimentou rápido e já anunciou a chegada de Vagner Mancini, que volta ao Coelho após cinco meses. Nesta quarta, o América deve ser comandado pelo auxiliar fixo do clube, Diogo Giacomini.

Sem tempo para fase ruim, o Atlético tem duas armas importantes para o duelo desta quarta. Hulk, craque do time, tem uma motivação a mais para esta partida. Com 49 gols marcados com a camisa atleticana, o atacante pode chegar a marca de 50 gols contra o América. Já Ademir, reserva do Galo, pode fazer valer a lei do ex contra o Coelho.

 

 

Fonte: Itatiaia

Comentários
COMPATILHAR: