O livro “Casa de Pensão” é a dica de leitura para esta semana.

O projeto ‘No meio do Caminho tem um Livro” é realizado pelas três bibliotecas públicas de Formiga

Essa é uma obra marcante do realismo brasileiro escrita pelo autor Aluísio Azevedo, onde nos apresenta um retrato da vida urbana no Rio de Janeiro do século XIX. O autor utiliza ricos detalhes da diversidade de personalidades, classes sociais e conflitos desta época.

Amâncio um jovem maranhense de família muito rica que deixa a terra natal para estudar medicina no Rio de Janeiro imperial. Um provinciano mimado pela mãe e acostumado com vida abastada, apenas se interessa verdadeiramente pela vida social e pelas mulheres da Corte. Depois de tanto tempo ouvindo histórias sobre as maravilhas do Rio, tudo que Amâncio quer é viver aventuras, aproveitar a noite e a juventude para encontrar mulheres belas e sedutoras como as heroínas de seus livros favoritos.

Uma das primeiras pessoas que Amâncio encontra no Rio é Campos, um comerciante rico amigo da família que oferece sua casa para o garoto. Rapidamente Amâncio deixa o hotel onde estava hospedado e vai viver com a família de Campos. Apesar de ser muito bem recebido pelo comerciante, a mulher dele Hortênsia demonstra certo receio com a presença do estudante, o que acaba deixando-o atraído por ela.

Após algumas andanças pela cidade Amâncio encontra um colega do Maranhão, Paiva Rocha, e vai almoçar com ele. No caminho, eles encontram outros dois amigos de Rocha que se juntam a eles. Almoço este, regado a muito vinho e comida cara, onde Amâncio relata o quanto está descontente em morar com Campos, pois restringe muito a sua liberdade. João Coqueiro um dos amigos de Paiva, percebendo diante de si a oportunidade única de enganar um jovem rico, convida Amâncio para visitar a sua casa, uma das mais famosas e respeitadas Casas de Pensão do Rio de Janeiro. Com muito pouco trabalho Coqueiro consegue persuadir o jovem a morar ali. Com a ajuda da mulher ele fará de tudo para casar Amâncio com sua irmã Amélia.

Entretanto, Coqueiro e sua mulher Amélia não contavam com Hortênsia e Lúcia. A primeira mantém Amâncio apaixonado com seu comportamento incerto, onde jamais deixa claro se ela corresponde ou não os sentimentos do jovem. Já a segunda é uma moradora da Pensão, que logo percebe em Amâncio um modo de livrar-se da vida pobre que leva ao lado do marido preguiçoso. Com três mulheres completamente diferentes ocupando seus pensamentos e sonhos, Amâncio acaba tornando mais fácil sua entrada para um mundo de sedução, mentiras e falsas aparências, onde todos são movidos apenas por interesses fúteis e ambições egoístas.

Mas será que mesmo cercado por tantas pessoas de índole duvidosa Amâncio continuará sendo um inocente estudante ou ele mesmo aprenderá a circular em caminhos perversos? Quem foi a mulher escolhida? Ou a história pode nos levar a finais trágicos? Vamos desvendar juntos este romance intrigante?

Venha conhecer a Biblioteca Osório Garcia, temos a disposição esta e várias outras obras da Literatura Brasileira e estrangeira, para encantar aos leitores. O endereço é na Rua Alfa, nº 59, no Bairro Ouro Negro.

Fonte: biblioteca pública

Imagem: reprodução biblioteca

COMPATILHAR: