A Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou nesta quinta-feira (31), a segunda morte por febre maculosa em Minas Gerais. O caso mais recente aconteceu em Araxá, no Alto Paranaíba, onde uma jovem de 21 anos não resistiu aos sintomas da doença. Ela ficou internada um mês no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em Uberaba.
A assessoria de imprensa da SES informou que uma equipe tenta descobrir o local provável da infecção. A investigação deve ser concluída dentro de 15 dias.
Ainda segundo a assessoria de imprensa, a vítima morreu com notificação de hantavirose, mas, como a doença não foi confirmada em virtude de sintomas comuns, foi levantada a suspeita de febre maculosa.
Desde janeiro, foram notificados 16 casos de febre maculosa no Estado, que aguardam resultado de exames laboratoriais. Outros três foram confirmados nos municípios de Ipatinga, no Vale do Aço, Contagem (região metropolitana de Belo Horizonte), e em Araxá.
O outro caso que evoluiu para óbito é o de Contagem. A SES não soube informar detalhes sobre a morte dessa vítima.
O órgão não considera infecção por febre maculosa uma ocorrência rara, mas garante que houve poucos casos confirmados.
Causada por bactéria, a febre maculosa é transmitida pela picada do carrapato Amblyomma cajennense. Os sintomas são febre alta, dores de cabeça, garganta, abdominal e muscular, além de náuseas e vômitos.

Comentários
COMPATILHAR: