Apesar do aumento da incidência de casos positivos de Covid-19 em todo estado, o Comitê Extraordinário do “Minas Consciente” definiu, nesta quinta-feira (27), pela manutenção da Onda Verde em todas as 14 macrorregiões de saúde mineiras, incluindo a Oeste.

O secretário de Saúde, Fábio Baccheretti, justificou a decisão informando que não houve uma pressão generalizada sobre o sistema hospitalar por causa da doença, apesar de em algumas localidades a ocupação de leitos esteja no vermelho.

“Foi muito importante Minas ter mantido mais de 2 mil leitos. Assim, garantimos a continuidade da assistência aos pacientes”, informou.

Reunião e vacinação

Durante a reunião, foi feito um alerta de que mais de 2,5 milhões de mineiras e mineiros ainda não completaram o esquema vacinal e precisam colocar o cartão de vacinação em dia.

A expectativa é a de que agora em fevereiro toda criança já esteja imunizada com a primeira dose no estado, o que vai gerar uma proteção inicial para os pequenos e pequenas. Reforço que a vacina é confiável e os efeitos colaterais frente aos benefícios são infinitamente menores. Então, mães, pais ou responsáveis contamos com vocês nessa luta”, pediu o secretário.

Dados da doença no estado apontam que a taxa de incidência disparou nos últimos 14 dias, com aumento de 218% na média, conforme relatório do Comitê. A média móvel de casos nos últimos sete dias também registrou um crescimento, atingindo 22 mil confirmações em 25 de janeiro.

“Por isso é tão importante manter os cuidados, como o uso de máscaras, higienização das mãos e evitar aglomerações”, destacou Baccheretti.

Até a publicação desta reportagem, a situação das microrregiões não havia sido atualizada.

Onda Verde

Nesta etapa, todas as atividades estão permitidas, mas desde que regras como uso de máscara, distanciamento e manutenção das medidas de higiene e segurança sejam mantidas para evitar novos casos.

Cidades da macrorregião Oeste

As cidades que fazem parte da Macrorregião Oeste são: Aguanil, Araújos, Arcos, Bambuí, Bom Despacho, Camacho, Campo Belo, Cana Verde, Candeias, Carmo da Mata, Carmo do Cajuru, Carmópolis de Minas, Cláudio, Conceição do Pará, Córrego Danta, Córrego Fundo, Cristais, Divinópolis, Dores do Indaiá, Estrela do Indaiá, Formiga, Igaratinga, Iguatama, Itaguara, Itapecerica, Itatiaiuçu, Itaúna, Japaraíba, Lagoa da Prata, Leandro Ferreira, Luz, Martinho Campos, Medeiros, Moema, Nova Serrana, Oliveira, Onça de Pitangui, Paíns, Pará de Minas, Passa tempo, Pedra do Indaiá, Perdigão, Piracema, Pitangui, Santana do Jacaré, Santo Antônio do Amparo, Santo Antônio do Monte, São Francisco de Paula, São Gonçalo do Pará, São José da Varginha, São Sebastião do Oeste, Serra da Saudade Tapiraí.

Cidades da microrregião

Nesta quinta-feira (27), a situação das microrregiões não havia sido atualizada. Veja abaixo a última atualização feita no dia 9 de outubro.

Micro de Bom Despacho: Bom Despacho, Dores do Indaiá, Estrela do Indaiá, Luz, Martinho Campos, Moema, Serra da Saudade;

Micro de Divinópolis: Araújos, Carmo do Cajuru, Cláudio, Divinópolis, Itapecerica, Perdigão, São Gonçalo do Pará, São Sebastião do Oeste;

Micro de Formiga: Bambuí, Córrego Danta, Córrego Fundo, Formiga, Iguatama, Medeiros, Pains, Pimenta.

Micro de Itaúna: Itaúna, Itaguara, Itatiaiuçu, Piracema;

Micro de Oliveira: Carmo da Mata, Carmópolis de Minas, Oliveira, Passa Tempo, Santo Antônio do Amparo, São Francisco de Paula;

Micro de Pará de Minas: Conceição do Pará, Igaratinga, Leandro Ferreira, Nova Serrana, Onça de Pitangui, Pará de Minas, Pitangui, São José da Varginha.

Micro de Piumhi: Capitólio, Doresópolis, Piumhi, São Roque de Minasência .

‘Minas Consciente’

Segundo o governo de Minas, o plano “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo” orienta a retomada segura das atividades econômicas nos municípios do estado. A proposta sugere a retomada gradual de comércio, serviços e outros setores, tendo em vista a necessidade de levar a sociedade, gradualmente, à normalidade, através de adoção de um sistema de critérios e protocolos sanitários, que garantam a segurança da população.

O “Minas Consciente” foi baseado nas informações fornecidas por diversas instituições e entidades de classe, com objetivo de auxiliar os 853 municípios do estado para que possam agir de maneira correta e responsável, mantendo os bons resultados apresentados por Minas Gerais na contenção da pandemia do novo coronavírus.

Neste sentido, o plano agrega dados econômicos, mas, principalmente, dados de saúde pública para orientar uma tomada de decisão responsável, segura e consciente.

Divisão por ondas

  • Onda Vermelha – serviços essenciais
  • Onda Amarela – serviços não essenciais
  • Onda Verde – serviços não essenciais com alto índice de contágio
  • Onda Roxa – fase mais restritiva, que é imposta a todas as cidades que forem classificadas nela, ou seja, mesmo que o município não tenha aderido ao “Minas Consciente”, ele deve seguir as determinações estaduais enquanto estiver inserido nessa fase. Nesta fase, só podem funcionar atividades essenciais das 5h às 20h.

Avanço ou regresso das ondas – o avanço de uma onda para outra ocorre quando a região sai de uma onda considerada com restrição para outra menos restritiva. O regresso de uma onda para outra ocorre quando a região sai de uma situação com mais liberações para outra com mais restrições.

Macros e microrregiões – As prefeituras podem escolher qual fase seguir quando há diferença entre as classificações das micro e macros, desde que uma delas não seja a Roxa, que é impositiva e mais restritiva.

Fonte: g1 Centro-Oeste

Comentários