Uma discussão entre uma cliente, de 58 anos, e uma cabeleireira, de 29, por conta de um suposto “corte químico” — quebra abrupta do cabelo causada por procedimentos químicos — após procedimento de alisamento no cabelo terminou em pancadaria no último domingo (26). O caso aconteceu no bairro Lindéia, na região do Barreiro, em Belo Horizonte.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a profissional contou que tudo começou quando a cliente mandou uma mensagem dizendo que o procedimento havia causado uma quebra em seu cabelo.

Contudo, a trabalhadora alega que a última vez que atendeu a mulher foi há cerca de quatro meses. Para tentar solucionar o caso, a cabeleireira conta que foi à casa da cliente para mostrar a composição do produto usado no tratamento.

No local, ela foi recebida pela cliente, que teria se recusado a sair de casa e insistido em conversar dentro de sua residência. A cabeleireira então entrou e, ao ver a condição do cabelo, avaliou que a cliente teria feito algum produto químico de forma independente ou com outra pessoa. Ela pediu que a mulher deixasse que ela verificasse mais de perto, mas teria sido empurrada pela moradora que, em seguida, pediu que ela deixasse o local.

Na sequência, conforme relatou a mulher à PM, a cliente teria puxado seu cabelo e uma briga generalizada, com agressões mútuas, foi iniciada. Em certo momento, a cliente teria atacado a mulher com um osso sintético para cachorros e, em seguida, lhe dado uma mordida.

Durante a briga, a cabeleireira teria empurrado a cliente, que acabou caindo da escada. As agressões só cessaram quando um homem, que acompanhava a profissional, pulou o muro para “resgatar” a mulher.

Cliente alega que foi vítima de agressão

De acordo com a PM, a cliente contou uma versão diferente. Segundo a mulher, ela tentou hidratar e escovar seu cabelo, mas viu que ele estava quebrando. Uma profissional da área a informou que ela estava sofrendo um “corte químico”. Ela afirma que a última vez que havia ido ao salão foi para fazer o procedimento com a cabeleireira.

Diante disso, ela mandou um vídeo para a mulher, questionando o que estaria acontecendo com seu cabelo após o procedimento. Instantes depois, a profissional foi até sua casa mostrando o produto utilizado. Ela alega que se recusou a sair de casa por estar prestes a entrar no banho e não estar vestida adequadamente para sair até a rua. Por isso, convidou a mulher a entrar.

Segundo relato da cliente, as duas começaram a discutir e, em seguida, a cabeleireira teria agarrado seu cabelo e a jogado pela escada. Ela então passou a agredir a profissional para se defender. Ela também afirma que dois homens tentaram pular o muro para agredi-la. Por conta das agressões, ela alega que sofreu ferimentos nos braços e rosto e também teve o cabelo danificado. Ela foi encaminhada para a UPA de Ibirité, onde passou por exames, foi medicada e liberada.

A PM registrou boletim de ocorrência do caso. As duas envolvidas foram ouvidas e liberadas após assinarem um termo de compromisso. Por meio de nota, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou que foi “lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG)“.

 

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: