O bilionário sul-africano Elon Musk, de 51 anos, decidiu encerrar o acordo de US$ 44 bilhões (cerca de R$ 231 bilhões) para comprar o Twitter, de acordo com carta enviada por um advogado do empresário ao diretor jurídico da rede social, nesta sexta-feira (8).

O presidente do conselho do Twitter, Bret Taylor, disse que a empresa ainda está comprometida em fechar o acordo e deve buscar ações legais para fazer cumprir o acordado com Musk. “Estamos confiantes de que prevaleceremos no Tribunal de Chancelaria de Delaware (estado dos EUA)”, escreveu Taylor na rede social.

Após a decisão do CEO da Tesla, SpaceX e Neuralink ganhar repercussão mundial, as ações do Twitter caíram cerca de 6% nesta sexta, segundo a emissora americana CNBC.

Na carta, obtida pela emissora, o advogado Mike Ringler, do escritório Skadden Arps, acusou o Twitter de “não cumprir as obrigações contratuais”. Ele alegou que a empresa não forneceu a Elon Musk as informações comerciais relevantes que ele solicitou e que estaria no contrato. Anteriormente, o bilionário sul-africano disse que queria avaliar as alegações do Twitter de que cerca de 5% de seus usuários ativos diários monetizáveis eram contas de spam (ou bots).

“O Twitter falhou ou se recusou a fornecer essa informação. Às vezes, o Twitter ignorou os pedidos de Musk, às vezes os rejeitou por razões que parecem injustificadas. Às vezes alegou cumprir o acordado, fornecendo informações incompletas ou inutilizáveis ​​a Musk”, afirmou o advogado, citado pela CNBC.

Mike Ringler também acusou o Twitter de violar o acordo de fusão porque supostamente contém “representações materialmente imprecisas”. Essa acusação é baseada na análise preliminar do próprio Elon Musk de contas de spam na plataforma da rede social. O Twitter disse que não é possível calcular contas de spam apenas a partir de informações públicas e que uma equipe de especialistas realiza uma revisão para chegar à cifra de 5%.

“Enquanto essa análise continua em andamento, todas as indicações sugerem que várias das divulgações públicas do Twitter sobre seus usuários ativos diários monetizáveis são falsas ou materialmente enganosas. Apesar da especulação pública sobre esse ponto, Musk não renunciou ao direito de revisar os dados e informações do Twitter simplesmente porque optou por não buscar esses dados e informações antes do acordo de fusão”, acrescentou Ringer.

Embora Musk esteja oficialmente tentando se afastar do acordo, a saga provavelmente está longe de terminar. Isso porque, de acordo com a emissora americana, os termos do acordo afirmam que Musk concordou em pagar US$ 1 bilhão (R$ 5,26 bilhões) de multa caso desistisse da negociação.

 

 

Fonte: Hoje em Dia

COMPATILHAR: