Um dos 25 presos na Alemanha suspeitos de integrar um grupo extremista viveu no Brasil. Rüdiger Wilfred Hans Von Pescatore, de 69 anos, morou em Santa Catarina, estado onde ainda tem duas empresas abertas em seu nome.

Pescatore é ex-militar e foi preso na quarta-feira (7). Ele era investigado após ser identificado como um Reichsbürger (“cidadãos do reich”), grupo que nega a existência da República Federal da Alemanha como Estado e seu sistema legal. Segundo as autoridades, eles planejavam uma invasão violenta do Parlamento alemão e foram presos.

O extremista chegou ao sul do Brasil em 2016. Antes disso, havia passado por outros dois estados, São Paulo e Rio Grande do Norte.

De acordo com uma pessoa próxima à família, que preferiu não se identificar, ele morou no Vale do Itajaí com a esposa, a filha, o genro e os netos.

Pescatore fixou residência em um sítio na região do Encano, em Indaial. A filha seguiu para Pomerode, a cerca de 30 quilômetros de distância.

Apesar de já ter voltado à Alemanha, o ex-militar tem empresas abertas em Santa Catarina. Em Pomerode, a empresa é uma consultoria empresarial, localizada em uma casa no Centro onde familiares teriam morado até 2020.

A segunda, de painéis de energia solar, fica em Blumenau. O local funciona em uma sala comercial na Rua XV de Novembro, também na região central.

Presos 25 suspeitos de integrar grupo terrorista

A prisão dos 25 suspeitos de integrar um grupo terrorista de extrema direita apontado por tentar derrubar o Estado alemão aconteceu na quarta-feira durante uma operação em todo país europeu. Um soldado ativo e vários reservistas estão entre os investigados.

Segundo o governo alemão, os suspeitos são acusados de se preparar, desde o final de novembro de 2021, para realizar ações com base em sua ideologia. Essas ações incluem aquisição de equipamentos, recrutamento de novos membros e aulas de tiro.

O foco do recrutamento foi principalmente membros das forças armadas e policiais. As buscas foram conduzidas por mais de 3 mil policiais e forças de segurança em 11 estados alemães.

Os suspeitos foram presos nos estados de Baden-Wuerttemberg, Baviera, Berlim, Hesse, Baixa Saxônia, Saxônia, Turíngia, bem como na Áustria e na Itália, disse o escritório.

Fonte: G1

Comentários
COMPATILHAR: