Um ex-policial civil é apontado como principal suspeito da morte do delegado aposentado Hudson Maldonado, de 86 anos. A Polícia Civil afirmou, na tarde desta quinta-feira (23), que “todos os esforços são empreendidos para localizar o envolvido”. O delegado foi queimado vivo dentro de casa em Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais, nessa quarta-feira (22).

Segundo a PC, a suposta motivação do crime seria a exclusão do suspeito do quadro da instituição por meio de Processo Administrativo Disciplinar (PAD), que contou com a participação da vítima à época. O ex-agente foi expulso após constatação de prática de transgressão disciplinar de natureza grave.

O caso segue sendo investigado pelas autoridades. Segundo a polícia, a perícia e uma equipe de policiais compareceram ao local do crime nessa quarta-feira (22) e coletaram vestígios para subsidiar as investigações.

O corpo da vítima foi encaminhado ao Posto Médico-Legal do município, onde passou por exame de necropsia e, em seguida, foi liberado aos familiares.

 

O caso

O ex-delegado Hudson Maldonado, de 86 anos, que também era advogado criminalista, foi queimado vivo dentro de casa em Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais, nessa quarta-feira (22). A vítima estava em casa com uma cuidadora quando um homem a rendeu, entrou no quarto e ateou fogo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e encontrou o corpo do ex-delegado carbonizado. As chamas da casa foram controladas antes da chegada dos militares. O imóvel foi isolado pelos agentes e a energia desligada.

 

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: