O empate em 1 a 1 contra o Araxá no domingo passado, jogando na cidade de Itaúna, finalizou a campanha do Formiga Esporte Clube no Módulo II deste ano.
A campanha esteve longe da sonhada pela torcida, confiante após o ótimo desempenho em 2007, quando o time quase subiu para a elite do futebol mineiro.
No entanto, o FEC enfrentou as dificuldades de sempre, pois o futebol (especialmente o mineiro) é muito deficitário e, mesmo contando com bons investimentos de patrocínios e boas rendas, os clubes do interior sempre esbarram nas dificuldades financeiras para montar bons times.
Nos bastidores, a equipe formiguense também enfrentou dificuldades. Logo no início do campeonato, o então presidente Flávio Cunha deixou o cargo por motivos pessoais. Mesmo o clube possuindo uma diretoria consistente, o baque natural foi sentido.
Dentro de campo, logo nas primeiras rodadas houve uma troca de treinadores. Apesar da decisão acertada, o planejamento traçado na pré-temporada ficou prejudicado e o bom técnico PC Alencar precisou pegar o time com o campeonato em andamento.
A formação do grupo, no geral, não foi das melhores, apesar da diretoria ter trabalhado com boa intenção. Futebol é assim, nem sempre todas as apostas dão certos.
No final das contas, o 9º lugar na tabela chegou a ser frustrante para a torcida e a diretoria tem consciência disso e já trabalha para corrigir os erros em competições futuras. Mesmo com todas as dificuldades, o FEC vem construindo uma base sólida e se mantendo como pode.
Agora é torcer para que os investidores continuem apostando no clube, que já deu mostras de que é uma marca que a cada dia vai se fortificando ainda mais dentro do cenário do futebol mineiro.

Comentários