Lideranças sindicais ligadas à Segurança Pública em Minas Gerais definiram a paralisação das atividades em assembleia na tarde dessa segunda-feira (21), mas a categoria ainda aguarda por definições sobre como será a movimentação nas corporações. A classe pretende reduzir os efetivos até que o governador Romeu Zema (Novo) dê sequência ao projeto de recomposição salarial dos profissionais, que teria sido acordada em 2019. Eles também protestam contra o Regime de Recuperação Fiscal (RRF) no Estado, que está na pauta do legislativo mineiro.

A reportagem do Hoje em Dia percorreu unidades da segurança pública em Belo Horizonte na manhã desta terça-feira (22). O movimento seguia normal e sem alterações aparentes no caso do Departamento de Trânsito (Detran), delegacias da Polícia Civil, bases móveis da Polícia Militar e também no Corpo de Bombeiros.

Na Central de Flagrantes I da Polícia Civil (Ceflan I), no bairro Floresta, região Leste da capital, policiais afirmaram que, apesar de toda a equipe estar ativa, as ocorrências passaram a ser atendidas “uma de cada vez”. Eles confirmaram que receberam a orientação após a assembleia das lideranças sindicais, e também esperam pela divulgação de um material oficial para a tomada de novas medidas.

Apesar disso, não houve alteração no funcionamento, segundo eles. Enquanto a reportagem esteve no local, conversando com os agentes, o movimento de usuários, que era pequeno, seguia normalmente.

Situação parecida foi registrada no Detran de BH, no bairro Boa Viagem, região Centro-Sul. Nesta manhã, os guichês funcionaram normalmente, e não houve sinais de paralisação no trabalho, segundo funcionários. 

Orientações aos servidores

O Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol/MG) orientou aos profissionais, logo após a confirmação da paralisação, que apenas as ocorrências de urgência sejam atendidas normalmente. Casos não considerados emergenciais deverão seguir escala de 30% de funcionamento.

Ainda conforme a entidade, uma cartilha mais detalhada será divulgada à categoria e à imprensa ainda na tarde desta terça-feira (22). Esse material deverá conter as deliberações ligadas a todos os servidores envolvidos, e, na sequência, as corporações ainda devem fazer comunicados referentes à competência de cada uma. 

Segundo o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de Minas (Sindasp – MG), não haverá banho de sol e visitação para os detentos no próximo fim de semana, por conta da escala reduzida de profissionais. Essa é uma das medidas que vai constar na deliberação específica da entidade, ainda sem data para ser divulgada.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: