Uma funcionária pública estadual, de 51 anos, foi presa suspeita de injúria racial ao chamar uma família, que passeava pelo Parque Municipal, no Centro de Belo Horizonte, de “pretos fedidos e feios”. Ela chegou, inclusive, a dizer que “ali não era lugar para gente como eles”.

A ocorrência foi registrada pela Guarda Municipal no fim da tarde deste domingo (14/5). Os agentes contam ter encontrado um menino de 10 anos chorando na Avenida Afonso Pena, em frente ao Parque Municipal. Ele pediu ajuda aos guardas, dizendo que uma mulher estava xingando sua mãe.

Os guardas municipais, então, acompanharam o garoto e se depararam com a mulher, de 41 anos, chorando, ao lado do outro filho, de 11 anos, que também estava igualmente nervoso. Enquanto isso, o pai tentava acalmar o bebê, de apenas um ano.

A mulher conta ter ido ao parque comemorar o Dia das Mães com os três filhos e o marido no Parque Municipal, quando foi abordada pela funcionária pública, que passou a xingá-la com palavras de cunho racista e palavrões.

Segundo o relato, a família foi chamada de “pretos fedidos e feios” e a agressora também chegou a dizer que eles não deveriam estar no parque, “porque ali não era lugar para gente como eles”.

A suposta autora das ofensas nega o crime e diz que apenas chamou a atenção dos garotos, porque um deles teria tentado jogar uma pedra nela.

Os guardas municipais deram voz de prisão à acusada. Os envolvidos foram conduzidos à Central de Flagrantes da Polícia Civil, no bairro Santa Tereza, na Região Leste de BH.

A reportagem do Estado de Minas entrou em contato com a Polícia Civil para obter mais detalhes do caso e aguarda retorno.

Fonte: Estado de Minas

COMPATILHAR: