Para oferecer ainda mais tranquilidade aos alunos, funcionários e a todos que frequentam as instalações do Unifor-MG e do Colégio de Aplicação ? Unidades I e II, a mantenedora Fuom tem investido cada vez mais no sistema de segurança da instituição.

A segurança inicia-se com o controle de acesso ao campus universitário, desde a primeira portaria até a recepção dos prédios onde ficam localizadas as catracas eletrônicas que possibilitam a entrada de alunos, professores e funcionários mediante cartões de identificação. Os visitantes são identificados pelos atendentes/recepcionistas e registrados no livro de ata.

Outra medida adotada foi a instalação de uma série de câmeras em locais estratégicos de forma a anular qualquer ?ponto cego?. Da Central, localizada no DAPP (Departamento de Apoio a Pessoas e Patrimônio), é possível monitorar todo o campus. De acordo com o coordenador do setor de segurança, Elton Jesus de Souza, por meio desse monitoramento, é possível detectar qualquer irregularidade e acionar o colaborador que estiver mais próximo do local do acontecimento, via rádio, para tomar as devidas providências.

Segundo o coordenador do DAPP, atualmente, a instituição conta com 71 câmeras já em funcionamento, distribuídas nas portarias, estacionamentos e demais áreas externas, prédios, corredores e no Clube Unifor-MG. ?Há previsão para a instalação de mais 10 câmeras nos novos prédios do UNIFOR-MG, 11 câmeras na Unidade II – Corujinha e 4 câmeras na Fazenda Laboratório?, ressaltou.

Também fazem parte do sistema de segurança as centrais de alarmes em todos os prédios. O monitoramento desses alarmes é realizado internamente pelos vigias e também pela empresa Semelc. A equipe de colaboradores, em diversos setores do campus, também integra esse sistema de segurança, dando suporte a tempo e a hora.

Ainda de acordo com Elton Jesus de Souza, mais de R$60 mil foram investidos na aquisição de câmeras e catracas para prover a segurança do patrimônio e das pessoas em todo o campus, sem contar o investimento no sistema específico da Biblioteca ?Ângela Vaz Leão?.

?O sistema é de extrema importância para a segurança da instituição uma vez que percebemos a diminuição de pequenos furtos e vandalismos, inibimos o acesso de pessoas não autorizados, além de poder chegar a várias partes do campus através do monitoramento eletrônico, que pode ser realizado de qualquer computador do campus. O sistema de segurança do Unifor-MG proporciona tranquilidade para alunos, visitantes e funcionários?.

Sistema de segurança da Biblioteca

A Biblioteca ?Ângela Vaz Leão? recebeu um sistema de segurança específico. Os equipamentos já estão em fase de instalação, mas o sistema estará em pleno funcionamento somente a partir de 2015.

O sistema adquirido é um RFID (Radio-Frequency Identification) que em português significa identificação por rádio frequência. É um método de identificação automática, por meio de sinais de rádio, que recupera e armazena dados apor meio de dispositivos chamados de tags (etiquetas)

A tecnologia RFID é utilizada também para a identificação do acervo, possibilitando reconhecimento e rastreamento de exemplares físicos. Funciona com a presença de uma etiqueta RFID, dispositivos fixos, que são as antenas; e ativadores e reativadores de mesa ou portáteis, que possibilitam a codificação e leitura dos dados da etiqueta.

De acordo com a coordenadora da Biblioteca, Virginia Vaz, as antenas são instaladas próximo à saída da Biblioteca e têm como função ler a etiqueta e emitir ondas de rádio que são difundidas em várias direções e em distância que vai de polegadas a alguns metros, dependendo da potência e da frequência usada. Cada livro receberá uma etiqueta RFID e, assim, quando o usuário cruzar o local onde estão as antenas, elas fazem a leitura dos materiais que estão saindo da Biblioteca. Portanto, se o material não tiver sido liberado no balcão de empréstimo, o sistema irá emitir um sinal sonoro e na tela do computador do empréstimo aparecerá uma mensagem com informações da obra que está saindo indevidamente.

COMPATILHAR: