O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar, nesta quinta-feira (1º), a primeira parcela do 13º salário a aposentados, pensionistas e demais beneficiários que recebem mais do que um salário mínimo, de R$ 1.320 neste ano. A liberação dos valores vai até 7 de junho, conforme o final do benefício, sem considerar o dígito verificador. As parcelas do abono de Natal foram adiantadas em 2023, a exemplo do que ocorre desde 2020.

Em junho, o órgão libera a segunda parcela. O pagamento começa no dia 26 de junho e vai até 7 de julho. Recebem primeiro os segurados com direito a um salário mínimo, conforme o final do benefício, e, depois, a partir do mês seguinte, é liberado o montante a quem tem benefício maior. O pagamento do 13º é feito junto com o benefício mensal.

Calendário do 13º do INSS em maio

Para quem ganha um salário mínimo de R$ 1.320

  • Final do benefício 1: 25 de maio
  • 2:  26 de maio
  • 3: 29 de maio
  • 4: 30 de maio
  • 5: 31 de maio
  • 6:  01/jun
  • 7: 02/jun
  • 8: 05/jun
  • 9: 06/jun
  • 10: 07/jun

Para quem ganha acima do salário mínimo

  • Final do benefício 1 e 6: 01/jun
  • 2 e 7: 02/jun
  • 3 e 8: 05/jun
  • 4 e 9: 06/jun
  • 5 e 0: 07/jun

Calendário do 13º do INSS em junho

Para quem ganha um salário mínimo de R$ 1.320

  • Final 1: 36/jun
  • 2: 27/jun
  • 3: 28/jun
  • 4: 29/jun
  • 5: 30/jun
  • 6: 03/jul
  • 7: 04/jul
  • 8: 05/jul
  • 9: 06/jul
  • 10: 07/jul

Para quem ganha acima do salário mínimo

  • Final do benefício 1 e 6: 03/jul
  • 2 e 7:  04/jul
  • 3 e 8: 05/jul
  • 4 e 9: 06/jul
  • 5 e 0: 07/jul

O QUE FAZER COM O 13º DO INSS?

O pagamento adiantado é uma reivindicação dos aposentados do INSS, porém, muitos se queixam que ficam sem abono no final o ano, quando não há mais nenhuma parcela extra a ser recebida. A educadora financeira Cíntia Senna, da Dsop, afirma que o aposentado deve avaliar bem o que fará com o 13º para não gastar de uma vez e ficar sem nenhum dinheirono futuro. “Em tese, o aposentado estaria recebendo o dinheiro só lá no final do ano, é como se ele não existisse. Ele deve fazer a gestão desse recurso”, afirma ela.

A dica da educadora é poupar ao menos parte dele -se não todo o valor- e fazer algum investimento seja possível. “Será que eu preciso gastar esse valor agora? Será que posso reservar parte dele para o final do ano? É um caminho, uma possibilidade”, diz.
Pagar dívidas é uma das possibilidades, mas Cíntia também pontua que é preciso pensar muito antes de quitar o que está devendo, ou mesmo parcelar uma dívida, e seguir inadimplente depois. “E preciso avaliar. Vou quitar uma dúvida e ficar sem reservas? Esse dinheiro vai resolver o problema ou só vai me dar um acordo que saio da inadimplência, mas continuo com dívida?”, diz.

Segundo a Serasa, uma pesquisa do órgão feita entre os dias 18 e 23 de maio com 1.754 aposentados e pensionistas do INSS mostra que 37% deles têm intenção de utilizar antecipação do 13º salário para pagar dívidas. Em abril, o Mapa de Inadimplência e Negociações da Serasa apontou alta no número de devedores. Ao todo, 71,4 milhões de brasileiros estavam inadimplentes, dos quais 17,7% eram consumidores acima de 60 anos.

Fonte: O Tempo

COMPATILHAR: