Uma advogada de 25 anos, namorada de um detento da Penitenciária Regional de Formiga, foi presa pela Polícia Civil, nessa quarta-feira (27) em Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte, por envolvimento com o tráfico interestadual de drogas.

A corporação acredita que a jovem se aproveitava da profissão para ir de presídio em presídio, “levando e trazendo” informações sobre o comércio de entorpecentes entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro. 

A advogada e outras três mulheres entraram no radar da Polícia Civil há seis meses. Durante a investigação, a corporação identificou que a jovem atuava diretamente no tráfico de drogas, como conta o delegado Thiago Machado. 

“Ela se valia da condição de advogada para comparecer a diversas unidades prisionais e fazer o leva e traz. Ela fez várias visitas ao namorado, que podia ser em virtude do relacionamento, mas identificamos que ela realizava constantes visitas a outros presos”, explicou o delegado. 

Idas frequentes ao Rio de Janeiro

Durante a investigação, a polícia começou a monitorar os deslocamentos da jovem. “A gente constatou que ela compareceu muitas vezes ao Rio de Janeiro, indo de carro ou avião e se hospedando em hotel de nível. Por lá, ela chegou a frequentar inclusive a favela da Rocinha”, detalha Thiago Machado. 

Durante suas visitas à comunidade carioca, a advogada chegou a fazer fotos segurando armas e fuzil. As imagens foram salvas no rolo de câmera do celular da suspeita. Em uma das fotos, ela aparece ao lado de traficantes da região. 

Em uma das idas ao Rio de Janeiro, a advogada saiu de Belo Horizonte, levando um carro alugado na cidade de Betim, na região metropolitana. Esse veículo foi adaptado no Estado vizinho, para transportar uma grande quantidade de droga.
 

Flagrante no Paraná

Dias depois de chegar ao Rio, o carro foi levado por outra pessoa para Foz do Iguaçu, no Paraná, onde foi abastecido com 400 kg de droga e retornaria para o Rio. Contudo, no meio do caminho de volta, o motorista, um paranaense de 24 anos, se envolveu em um acidente ao tentar fugir da Polícia Rodoviária Federal. O condutor foi preso em flagrante. 

As investigações continuaram, e a Polícia Civil pediu pela prisão temporária da jovem. O pedido foi aceito, e a Justiça expediu o mandado de prisão. 

Prisão e crimes

A mulher foi encontrada em seu carro, um Honda modelo HR-V, em Lagoa Santa, onde foi presa temporariamente e encaminhada ao sistema prisional. 

Ela deve responder por tráfico de drogas, associação criminosa e lavagem de dinheiro. 

Redes sociais 

Nas redes sociais, a advogada ostentava uma vida de alto padrão. Entre as fotos publicadas, está uma em que ela aparece na Rocinha, no Rio. No perfil, a mulher aparece sem as armas. 

A Polícia Civil acredita que essa vida luxuosa que ela gostava de ostentar, com carro importado e viagens, era bancada com o dinheiro proveniente do tráfico de drogas. “Identificamos imóveis obtidos com recursos financeiros ilícitos. Também constatamos contas-correntes movimentadas por várias pessoas para lavagem de dinheiro e canalização de recursos obtidos com o tráfico de drogas”, revela o delegado.

Iniciante na advocacia

Advogada morava com os pais, em uma casa de padrão médio, em Vespasiano, também na região metropolitana, e não tinha “nem dez processos” registrados na carteira dela da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), informou a polícia.

“A vida que ela levava era incompatível com o trabalho que ela tinha”, afirma o delegado Thiago.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: