A foto de uma bandeja de pele de frango, vendida a R $2,99 o quilo, em um supermercado de Vila Velha, no Espírito Santo, chamou atenção nas redes sociais na última semana. Muitos internautas se indignaram e atribuíram o fato à política econômica do país, que estaria provocando a miséria da população e favorecendo o consumo de partes de animais que, até então, eram descartadas. Mas,afinal, vender pele de frango é ilegal?

O coordenador do Procon da Assembleia de Minas, Marcelo Barbosa, explica que a venda não fere o código do consumidor, desde que seguidas as regras sanitárias. “Não há nenhum empecilho legal para se vender pele de frango. Se fosse assim não seria permitido vender pele de porco, por exemplo. O que não pode é qualquer produto – pele, peito ou coxa – ser comercializado em condições impróprias para o consumo, deteriorado, vencido ou fora da temperatura ideal. A regra é a mesma para o filé mignon. Não há necessidade de aprovação da Anvisa para a venda”.

Nas imagens compartilhadas nas redes, é possível ver o adesivo da Kajoly Alimentos. Um representante da empresa disse ao UOL que nunca comercializou pele de frango e que a etiqueta da marca foi utilizada por engano pelo supermercado Faé.

Ainda segundo a Kajoly, a venda de pele postada nas redes sociais foi feita pelo supermercado, e não pela agroindústria. A empresa produtora da carne de frango advertiu o supermercado sobre a situação, e o produto já foi retirado das gôndolas.

 

 

Fonte: Itatiaia

Comentários
COMPATILHAR: