Os responsáveis pela Secretaria Municipal de Saúde tomaram uma medida que tem gerado polêmica na cidade. Os médicos que atuam nos postos de saúde agora terão que cumprir horário e ?bater o ponto?, como qualquer funcionário público.
O assunto começou a ser discutido na reunião da última segunda-feira (18) na Câmara Municipal, quando o vereador José Gilmar Furtado (Mazinho/DEM) comentou sobre essa medida da Secretaria de Saúde. Na ocasião, o vereador argumentou que os médicos que atuam nos Programas de Saúde da Família (PSF?s) trabalham também no Pronto Atendimento Municipal (PAM), na Santa Casa de Caridade de Formiga, em consultórios particulares e fazem pequenas cirurgias. Por isso questionou: ?Quem vai suprir os desfalques? Vai contratar outros médicos??.
O presidente da Associação Médica Regional de Formiga e também presidente da Câmara Municipal, Reginaldo Henrique dos Santos/PCdoB, comentou em entrevistas aos órgãos de imprensa da cidade que seria uma hipocrisia a Secretaria de Saúde querer que os médicos trabalhem oito horas por dia, pois a maioria dos profissionais atuam em outros locais. Ele comentou ainda que há restrição no número de médicos na cidade e que, no final, quem ?acaba pagando o pato? é a população. Dr. Reginaldo também comentou que a Câmara tem o dever de fiscalizar e opinar e que a Secretaria de Saúde está no caminho errado, na contramão. Reginaldo dos Santos disse também que aguarda uma reunião com o prefeito Aluísio Veloso/PT para obter respostas aos pedidos feitos por um grupo de vereadores, conhecido como G6, que inclusive quer a saída dos secretários da pasta.
Os secretários de saúde defendem o cumprimento do que está no edital do concurso público de 2007, quando foram destinadas 16 vagas para médico da família. O edital deixou bem claro que a carga horária seria de 40 horas semanais, ou seja, 8 horas por dia, e o salário estabelecido foi de R$4.800. Porém, nenhum médico concursado cumpre esta jornada.
A redação do jornal Nova Imprensa fez uma ronda nos postos de saúde na manhã desta quinta-feira (21) para verificar como anda o atendimento dos médicos nos PSF?s. (Veja no quadro). Tem postos de saúde que contam com médicos apenas duas vezes por semana, mesmo assim, somente em um período do dia. Há médicos que trabalham apenas uma ou duas horas diárias e, mesmo assim, recebem os salários no final do mês.
Mais uma vez, a equipe de reportagem do jornal foi às ruas e ouviu algumas lideranças comunitárias e a população para ver o que pensam desse assunto.

Comentários
COMPATILHAR: