Um homem, de 32 anos, foi preso nessa quinta-feira (26) suspeito de ter abusado sexualmente do próprio sobrinho, de 5, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A criança chegou à escola com dificuldade para se sentar e, para entender o que houve, uma professora fez algumas perguntas para ela de forma didática. Após o menino relatar que o tio havia tocado suas partes íntimas, a docente acionou a mãe da criança, de 21 anos.

A criança foi levada para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFMT) e, no local, uma assistente social, de 40 anos, conversou com policiais militares.

Em relato à PM, a mãe do menino contou que uma professora e uma funcionária da escola disseram que a criança estava com um comportamento estranho. Com isso, a docente, de forma didática e lúdica, mostrou para o menino partes do corpo que podem ser tocadas, como mãos, cabeça e pé, e quais não podem, se referindo à região íntima. Nesse momento, a criança revelou que o tio tocou partes do seu corpo que não podiam.

À polícia, a mãe da criança disse que é a primeira vez que ela comenta sobre isso e, que, no passado, o homem teria se envolvido com uma mulher, que alegou que o suspeito mostrou as partes íntimas para a enteada. Porém, não havia registro policial.

Em conversa com o filho, ele contou para a mãe que o tio aproveitou o momento que ela e a avó foram dormir e o levou para uma garagem da casa, onde cometeu os abusos. Os quatro moram na mesma residência.

De acordo com o boletim de ocorrência, assim que os policiais chegaram à casa da família, o homem gritou: “Não, eu não fiz nada”. Em seguida, ele acrescentou que não fez nada com a criança antes de ser questionado pelos militares sobre o ocorrido.

Ao ser perguntado sobre os abusos, ele relatou que “apenas brincava com a criança” e que não fez nada com ela.

O menino recebeu atendimento médico e passou por exames laboratoriais na UFTM. O homem foi levado para a delegacia de plantão.

Em nota, a Polícia Civil explicou que ratificou a prisão em flagrante do suspeito pelo crime de estupro de vulnerável. Após conclusão dos trabalhos da polícia judiciária, o homem foi levado ao sistema prisional, onde permanece à disposição da Justiça. “A investigação prossegue, sob sigilo, na Delegacia de Orientação e Proteção à Família em Uberaba para a completa elucidação dos fatos”, concluiu.

 

 

Fonte: Itatiaia

Comentários