Um vereador de Poços de Caldas foi condenado por calúnia e difamação por conta de um vídeo que teria sido divulgado nas redes sociais. Diney Lenon teria acusado o então secretário de governo, Celso Donato, de usar o cargo em benefício próprio. Condenação é em primeira instância e cabe recurso.

A decisão em primeira instância foi do juiz José Eduardo Junqueira Gonçalves. A pena imposta pelo magistrado é de três meses de prisão, que pode ser revertida ao pagamento de multa no valor de um salário mínimo.

O vídeo foi divulgado no ano passado. Na publicação, o vereador teria acusado o atual secretário de serviços públicos der pedido propina para liberar o show de Jorge & Mateus para além do permitido, em troca de ingressos.

Os agentes municipais, na oportunidade, emitiram um “auto de infração e multa”, que depois foi anulada pela Secretaria da Fazenda e Secretaria de Serviços Públicos, segundo os registros.

No entanto, na sentença, o juiz apontou que o vídeo foi divulgado três anos e seis meses após a ocorrência do show, que foi em 2018, e postado sem qualquer indicação de prova que pudesse corroborar às acusações.

A EPTV, afiliada TV Globo, conversou com o vereador Diney Lenos por telefone. Ele disse estar perplexo com a decisão.

Segundo ele, foi uma denúncia de caso suspeito de uso de cargo público em benefício próprio, um suposto pedido de propina.

Ainda segundo o vereador, os advogados dele já correram da decisão. Ele falou, também, que está tranquilo com o posicionamento e que tudo será esclarecido.

Fonte: G1 Sul de Minas

 

COMPATILHAR: