Um adolescente, de 15 anos, foi apreendido em Belo Horizonte pela Polícia Civil suspeito de causar um prejuízo no valor de R$ 10 mil ao próprio pai.

O menor, investigado pelo crime de estelionato, alegou ter feito transferência bancárias pelo celular do pai para comprar figurinhas.

Ele foi apreendido na quinta-feira (29), em uma escola da rede privada, durante a operação “Infractio”, deflagrada pela PCMG nos bairros Nova Vista e Cidade Nova.

O adolescente é investigado por atos infracionais análogos aos crimes de furto, estelionato e invasão de dispositivo eletrônico.

De acordo com a delegada titular da Delegacia Especializada de Investigação de Ato Infracional (Deai), Carolina Máximo, o menor acessou o aplicativo de banco no celular do responsável e efetuou transferências desautorizadas.

Segundo o garoto, os valores seriam utilizados para comprar figurinhas. “Em razão do possível envolvimento de maiores, o caso é investigado em inquérito policial na 3ª Delegacia de Polícia Leste, que apura se a versão do adolescente”, disse Carolina.

Outro jovem, de 18 anos, foi apreendido pela prática de ato infracional análogo ao crime de tráfico de drogas na mesma operação. O investigado foi encontrado em sua residência e não apresentou resistência, no Bairro Nova Vista. Ele possui diversas passagens por ato análogo a tráfico de drogas e, após atingida a maioridade, já foi preso em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Eles foram ouvidos e encaminhados para uma audiência de apresentação em Juízo, ficando à disposição da Justiça. A ação da equipe da Deai mobilizou 14 policiais civis, que também estiveram nos bairros Salgado Filho e Carlos Prates. Um terceiro alvo não foi localizado.

Fonte: Estado de Minas

 

 

COMPATILHAR: