O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que avalie e anule, se necessário, o voto de 279 mil urnas utilizadas nas eleições de 2022. Estas urnas equivalem a aproximadamente 60% de todas as utilizadas no pleito deste ano.

O advogado do PL, Marcelo Bessa, disse que a intenção do partido não é uma anulação para favorecer qualquer candidato, mas uma contribuição para aprimorar o sistema eleitoral. No entanto, ele deixou claro que as urnas que o partido miram dão uma vitória ao presidente eleito Lula.

Nas urnas que o PL pede verificação Lula venceu por 52% a 47% de Jair Bolsonaro. Nas que restariam, Bolsonaro venceria com 51% dos votos contra 49% de Lula.

Além disso, se for acatada a anulação, isso também poderia influenciar a eleição de deputados, senadores e governadores.

“Não quer dizer que ocorreu fraude. Mas existe uma fragilidade e dificuldade de atestar a votação em cada urna”, disse.

Relatório

O engenheiro Carlos Rocha, responsável pelo relatório técnico utilizado pelo PL, afirmou que a falha encontrada diz respeito a uma das linhas de código que servem para identificar a urna. O especialista não indicou falhas no registro ou contabilização dos votos, mas uma dificuldade em relacionar o voto dado com a urna onde ele teria sido depositado.

“Trata-se de um erro em uma linha do código de identificação das urnas que apresenta um número irregular. O erro foi encontrado nos modelos anteriores a 2020. Das 472 mil urnas utilizadas nas eleições, 190 mil não apresentam o erro e 279 mil trazem o erro de código”, detalhou.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários
COMPATILHAR: