A Polícia Militar (PM) encontrou um imóvel com portas de aço e câmeras de monitoramento usado para manter em cárcere usuários com dívidas de drogas em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Conforme registro policial, na madrugada dessa sexta-feira (13), uma família procurou a corporação para relatar que um homem, de 42 anos, havia sido sequestrado e os autores estavam pedindo R$ 4 mil pelo resgate. No local, os policiais encontraram mais vítimas, que estavam sofrendo tortura psicológica e física.

Em relato à polícia, familiares da vítima disseram que receberam uma ligação do grupo, que pediu um PIX de R$ 4 mil pelo resgate, mas que eles não conseguiram fazer a transferência do dinheiro.

Com isso, a corporação decidiu acionar o Centro Integrado de Operações da Polícia Militar (Copom). Durante rastreamento, os policiais receberam informações de quem seriam os autores do sequestro e a identidade do mandante. Em seguida, os militares receberam novos relatos de onde poderia estar a vítima e seguiram até o endereço informado com outras viaturas.

A vítima, de 42 anos, foi localizada pela polícia junto com outra, de 31. Eles explicaram para os policiais que ambos possuem dívidas de drogas com um traficante e, como o dinheiro não foi transferido, o homem mais velho decidiu entregar sua moto para sair do cativeiro. O próprio traficante autorizou a saída, mas colocou um jovem, de 22 anos, para vigiá-los no trajeto.

A polícia então fez buscas nas imediações para tentar encontrar o jovem e foi para o local onde ele apontou ser o cativeiro, para investigar se a informação era mesmo verdadeira. Além disso, durante a ocorrência, a PM recebeu informações de que duas mulheres também estariam sendo mantidas em cárcere no mesmo endereço.

Os policiais ainda receberam novos relatos de barulhos intensos vindo do local, com gritos, objetos sendo quebrados e pessoas pedindo socorro. Na denúncia, os militares foram orientados que o imóvel era cercado por câmeras de segurança e que o portão era reforçado com três camadas de aço.

Por isso, os policiais deixaram as viaturas na região e seguiram andando para o local, para neutralizar as câmeras e evitar que alguém fosse feito refém. Como as portas eram reforçadas e os militares ouviram gritos de socorro, eles entraram no local pelo telhado e encontraram duas mulheres, de 22 e 25 anos, sendo mantidas em cárcere.

No momento da ação, policiais caíram do telhado no corredor do imóvel e alguns homens que faziam a vigilância do local tentaram fugir. Um deles, de 36 anos, pegou uma bolsa e tentou passar pelo muro, mas acabou se ferindo em uma concertina. Ele então seguiu para um matagal e foi capturado pela equipe que fazia o cerco do local. O homem estava com um tablete de substância semelhante a maconha.

Durante a ocorrência, um dos autores entrou em luta corporal com os policiais dentro do imóvel e acabou se ferindo ao tentar subir em uma estrutura, que acabou caindo. Os militares também tiveram escoriações. Com ele, foi encontrado um simulacro de revólver e uma faca, que ele tentou jogar fora no momento da fuga. Os autores foram algemados e levados para a UPA São Benedito, onde receberam atendimento médico.

Tortura física e psicológica

A jovem, de 22 anos, tentou fugir para uma casa que fica ao lado do imóvel, mas foi impedida pela proprietária. Ela acreditava que iria ser morta. Segundo as jovens, que são usuárias de drogas, o traficante aplica juro por dia devido, o que tem dificultado o pagamento dos entorpecentes. No caso do atraso de uma semana de uma dívida de R$ 80, ela subiria para R$ 4 mil.

Conforme a polícia, o homem, de 31 anos, estava em cárcere há mais de 20 dias, sendo torturado fisicamente e psicologicamente. Ele também foi induzido a entregar a motocicleta e golpeado na cabeça. A vítima foi a pessoa escolhida para receber o PIX e depois repassar para o traficante.

A moto, que foi penhorada pelo traficante e estava no local, tinha o nome de outra pessoa e foi removida ao pátio credenciado.

A polícia identificou ainda evidências de intensas brigas no local, devido ao número de objetos danificados e distribuídos pelo imóvel. Havia vazamento de água e objetos destruídos, que a PM acredita terem sido arremessados contra a parede.

Todas as vítimas foram levadas para a UPA São Benedito, sendo uma com fratura nas pernas. No local, eles beberam água e foram alimentados. Os autores também receberam atendimento médico e foram encaminhados a delegacia.

 

 

Fonte: Itatiaia

Comentários