Esta quarta-feira (21) é o dia mais importante do Cruzeiro nas últimas três temporadas. Após se afundar na maior crise da história, o time terá, pela primeira vez, a oportunidade de voltar à Série A do Campeonato Brasileiro – Raposa encara o Vasco, às 21h, num Mineirão lotado, e precisa de uma vitória para conquistar o acesso, principal objetivo do clube.

Para o duelo decisivo, o clima não poderia estar melhor. O Cruzeiro vem de vitória fora de casa sobre o CRB, parte dos jogadores considerados titulares estão descansados, Ronaldo Fenômeno visitou a Toca e passou confiança à equipe e, claro, a expectativa da torcida está nas alturas. Cerca de 61 mil torcedores são esperados no estádio.

Com 65 pontos e na ponta isolada da tabela, mais três conquistados, nesta 31ª rodada, eliminam, matematicamente, as chances de o clube mineiro ficar de fora dos quatro primeiros ao final da competição. Já o time carioca, em quarto e com 48 pontos, quer estragar a festa, e planeja lutar até o fim para fazer como no primeiro turno, quando ganhou de 1 a 0 no Maracanã.

Para este clássico nacional, o técnico Paulo Pezzolano não terá força máxima, diferentemente do esperado. Na lista de jogadores relacionados para o confronto, algumas ausências chamaram atenção, como do lateral-esquerdo Matheus Bidu e do atacante Jajá. Segundo o clube, o primeiro ficou de fora por assuntos pessoais; já o segundo, devido a uma pancada na coxa no último treino.

Com isso, é provável que Marquinhos Cipriano ganhe uma nova oportunidade na esquerda. Já o ataque é uma incógnita, já que o time poderá ir com dois atletas ofensivos, com Edu e Bruno Rodrigues, ou três, ganhando o apoio de Luvannor ou Lincoln, por exemplo.

A verdade é que a China Azul, desde 2019, nunca esteve tão ansiosa por um jogo do time de coração. Só quem viveu esse martírio sabe o que é ver o seu clube de coração se reerguer aos poucos, principalmente após a SAF, mudando a estrutura da instituição e quem pisa nos campos do Brasil com a respeitada camisa celeste.

Outro lado

Vindo de uma vitória por 4 a 1 sobre o lanterna Náutico, o Vasco vem para Belo Horizonte com a missão de jogar um balde de água fria nas comemorações antecipadas dos mineiros. Além de ser um rival nacional histórico da Raposa, o cruz-maltino ainda luta pelo acesso à elite do futebol brasileiro no ano que vem.

Para o confronto, a tendência é que o técnico Jorginho repita o time que entrou no campo de São Januário na última rodada, conforme indicou nos últimos treinos. A maior preocupação é com relação aos pendurados com dois cartões amarelos – são oito, no total.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: