Para autorizar o novo saque, o governo planeja editar uma medida provisória (MP). A ideia foi antecipada pelo ministro da economia, Paulo Guedes, na terça-feira (22/2). Cada trabalhador receberá um valor diferente, de acordo com saldos das contas existentes, e terá como limite R$ 1 mil.

A Caixa Econômica Federal vai ser a responsável por efetuar o pagamento dentro de um cronograma, de acordo com o mês de nascimento dos trabalhadores. O início das atividades será realizado após o anúncio da medida.

Durante a crise causada pela pandemia da covid-19, a equipe econômica do governo cogitou liberar um novo saque emergencial, ainda em 2021, mas não havia disponibilidade de recursos no FGTS.

Fonte: Estado de Minas

Comentários
COMPATILHAR: