Em meio aos protestos pelo país contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pedindo por intervenção militar e não reconhecimento das eleições, deputados federais apresentaram diversos requerimentos de convocação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres. Ele terá que explicar acusações de parlamentares de que a Polícia Rodoviária Federal (PRF), vinculada à pasta, não agiu a contento contra os bloqueios em estradas federais por todo o país e também que dificultou a votação de eleitores no domingo (30).

Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, assinam o requerimento da convocação de Anderson Torres os seguintes parlamentares, todos do PT: Alencar Santana (SP), Reginaldo Lopes (MG), Patrus Ananias (MG), Paulo Teixeira (SP), Airton Faleiro (PA), Rubens Pereira Júnior (MA), Maria do Rosário (RS), Rui Falcão (SP) e José Guimarães).

Segundo eles, é preciso que Torres esclareça o descumprimento de decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que proibia operações da PRF no dia da eleição. Para os parlamentares, “a realização de centenas de operações relacionadas ao transporte de eleitores (bloqueios e paradas de ônibus e veículos) no dia da eleição” seria “uma mordaz tentativa de impedir ou causar embaraços ao livre exercício de voto pelos cidadãos e cidadãs brasileiros, especialmente em localidades nos Estados da região Nordeste do país”.

Também na CCJ, o deputado Idilvan Alencar (PDT-CE) pede a convocação de Anderson Torres mas por outro motivo. Para que ele explique “as ações que estão sendo tomadas para retomar a normalidade nas estradas brasileiras” e “os procedimentos para apuração e eventual punição de agentes federais que estejam cometendo crimes”. O parlamentar afirma que os protestos estão trazendo prejuízos ao país.

O deputado federal Túlio Gadêlha (Rede-PE) também quer a convocação de Anderson Torres, mas no plenário da Câmara. Ele quer explicações sobre as operações no dia da eleição e também sobre o que chama de “omissão das forças de segurança no cumprimento de ordens judiciais para desobstrução de rodovias brasileiras”.

Os pedidos ainda precisam ser aprovados pelos colegas parlamentares.

 

 

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: