Pesquisa Ipespe/Abrapel, divulgada nesse sábado (10), mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança com 44% das intenções de voto, seguido pelo atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), que tem 36% da preferência do eleitorado.

É o terceiro levantamento nacional divulgado nesta semana que mostra uma estabilidade dos principais concorrentes e confirmando uma tendência de 2º turno.

Os números confirmam a tendência apontada por outros institutos de pesquisa. No Datafolha, divulgada na sexta-feira (9), Lula está na frente com 45% a 34%; no Ipec, apresentada na terça-feira (6), o petista tem 44% contra 31% de Bolsonaro.

Em comum, todos os institutos de pesquisa indicaram pouca variação quando comparadas aos últimos levantamentos de cada instituto. Na última pesquisa Ipespe, divulgada no dia 3, por exemplo, o ex-presidente Lula tinha 44%, mesmo número de hoje, e o atual presidente Jair Bolsonaro tinha 35%, subindo um ponto percentual.

Ciro e Tebet

Na pesquisa Ipespe divulgada neste sábado, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, e a senadora de Mato Grosso do Sul, Simone Tebet, protagonizam a disputa mais acirrada. Ciro Gomes tem 8% dos votos contra 5% de Tebet.

Confira os números de todos os candidatos:

  • Lula (PT) — 44%
  • Jair Bolsonaro (PL) — 36%
  • Ciro Gomes (PDT) — 8%
  • Simone Tebet (MDB) — 5%
  • Felipe D’Avila (Novo) — 1%
  • Soraya Thronicke (União Brasil) — 1%
  • Vera Lúcia (PSTU) — 0%
  • José Maria Eymael (DC) — 0%
  • Leonardo Péricles (UP) — 0%
  • Padre Kelmon (PTB) – 0%
  • Pablo Marçal (Pros) – 0
  • Sofia Manzano (PCB) — 0
  • Branco/Nulo/Não vai votar – 3%
  • Não sabe/Não respondeu – 2%

Segundo turno

O petista Luiz Inácio Lula da Silva também venceria, segundo o levantamento, em uma disputa de segundo turno contra qualquer um dos demais candidatos. Contra Bolsonaro, Lua teria 52% das intenções de voto contra 39% do atual presidente.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-07606/2022. A margem de erro da pesquisa é de 3% para mais ou para menos. Foram entrevistadas 1100 pessoas, em todo o Brasil, entre os dias 7 e 9 de setembro.

Fonte: Hoje em Dia

 

 

Comentários
COMPATILHAR: