Trinta e cinco municípios do interior de Minas devem ficar alertas para o recrudescimento da pandemia, indica o levantamento semanal sobre a situação das 853 cidades do Estado feito pelo infectologista Carlos Starling e pelo cientista de dados Bráulio Couto a partir de dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

Com os números de vacinação, casos e mortes por Covid dos municípios nas duas últimas semanas, a dupla analisa a taxa de normalidade de cada cidade, utilizando a soma de seis critérios. Segundo o documento dessa quarta-feira (19), 34 municípios estão com a taxa de normalidade moderada (entre 30% e 50%), enquanto um está com um indicador baixo: Rodeiro, na Zona da Mata, onde a mortalidade por milhão de habitantes chegou a 154 entre os dias 6 e 19 de janeiro. Lá, a taxa foi calculada em 28%.

Segundo o levantamento, Belo Horizonte está com a taxa de normalidade em 68% – há duas semanas, o indicador estava em 80%. Houve uma queda no índice por conta da subida exponencial do número de casos de Covid confirmados.

“A incidência de novos casos explodiu em BH e em 70% dos municípios mineiros: subiu de 69 casos por 100 mil habitantes, entre 11 e 24 de novembro, para 315 casos por 100 mil habitantes, entre 6 e 19 de janeiro”, explica Bráulio Couto. “A mortalidade não foi afetada. Nas duas últimas semanas, está em 13 óbitos por milhão de habitantes. Já a letalidade, que mede diretamente a gravidade dos casos, caiu de 3,0% em dezembro para 1,2% em janeiro”.

A taxa de normalidade é baseada em seis parâmetros: taxa de incidência de novos casos por 100 mil habitantes, tendência de novos casos, mortalidade por 1 milhão de habitantes, letalidade global da Covid, tendência da mortalidade e percentual da população plenamente vacinada com as duas doses.

Confira a lista dos 35 municípios que estão com taxa de normalidade abaixo de 50%:

Alto Jequitibá (48%)

Argirita (36%)

Bambuí (48%)

Bom Jesus da Penha (48%)

Bom Repouso (44%)

Bueno Brandão (44%)

Carmo de Minas (44%)

Conselheiro Pena (48%)

Corinto (44%)

Cuparaque (48%)

Divinilândia de Minas (48%)

Entre Folhas (48%)

Grupiara (44%)

Iguatama (44%)

Imbé de Minas (44%)

Inhapim (48%)

Ipiacu (32%)

Itamonte (44%)

Itanhandu (44%)

Itapagipe (40%)

Lagoa Dourada (44%)

Mathias Lobato (48%)

Mendes Pimentel (44%)

Pedrinópolis (48%)

Pequeri (48%)

Piau (44%)

Piedade do Caratinga (40%)

Rodeiro (28%)

Santana do Riacho (36%)

São Francisco de Sales (36%)

São Gonçalo do Abaeté (48%)

São João da Lagoa (36%)

São Sebastião do Anta (44%)

Teixeiras (44%)

Uruana de Minas (48%)

Fonte: O Tempo

Comentários