O preço do etanol disparou em Belo Horizonte, com alta de até R$ 0,30 só na última semana, conforme levantamento de preços realizado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). No dia 16 de abril, último sábado, o álcool combustível foi vendido na capital mineira a um preço médio de R$ 5,49. Nesta quarta-feira (20), o combustível já era comercializado a R$ 5,79 nos postos da região central de BH. Quando a comparação é feita com o preço médio praticado no início de abril, de R$ 5,12, o aumento foi de R$ 0,67, o que representa uma variação de 15% no preço.

Segundo o Siamig, sindicato que representa a indústria de álcool e açúcar em Minas Gerais, a culpa do aumento repentino é do atraso na colheita da safra do ano passado, provocado por problemas climáticos, o que resultou em diminuição na oferta de etanol aos postos de combustível.

Com o aumento, abastecer o carro com álcool em vez de gasolina não está compensando em Belo Horizonte, levando em conta a chamada “regra dos 70%”. Na capital, o preço do etanol está custando 75% do preço médio da gasolina. Pela “regra dos 70%”, válida para a maioria dos veículos, só compensa abastecer com etanol quando o seu preço custar 70% ou menos do valor da gasolina.

Safra atrasada

De acordo com o Siamig, “em virtude da seca, geada e incêndios ocorridos em 2021, quando teve início a safra (2022/23) de cana-de-açúcar em Minas e região Centro-Sul, está atrasada quando comparada aos anos anteriores”.

Os problemas na safra levaram o Minaspetro, sindicato que representa os postos de combustíveis de Minas Gerais, a emitir uma nota alertando para o risco de desabastecimento de etanol no Estado. “Os postos de combustíveis mineiros, sobretudo os do interior, têm tido dificuldade para encontrar etanol para repor seus estoques. O problema tem se agravado e chegado também na gasolina, que possui em sua composição 27% de etanol anidro, com revendedores encontrando dificuldade para encontrar o produto nas companhias”, diz o comunicado do Minaspetro.

Em resposta, o Siamig afastou qualquer risco de desabastecimento. “A safra de cana já iniciou em algumas unidades e, na segunda quinzena de abril e início de maio, espera-se que a safra na região Centro-Sul se normalize”, afirmou.

 

 

Fonte: Hoje em Dia

 

Comentários
COMPATILHAR: