Redação UN

Um homem de 58 anos, morador do bairro Del Rey, em Formiga, foi vítima do golpe do falso leilão de veículos. Ele perdeu a quantia de R$ 147 mil ao fazer uma transferência bancária para um suposto leiloeiro.

De acordo com o registro de ocorrência, o homem procurou a Delegacia de Polícia Civil suspeitando ter sido vítima de um golpe. Ele relatou que no domingo (7), teria acessado um site de leilões de veículos e que, na ocasião, ofertou dois lances em caminhões.

Na terça-feira (9), a vítima recebeu uma notificação pelo Whatsapp informando que havia sido contemplada nos lances em que fez a oferta.

A partir daí, ele manteve o contato com a empresa. A suposta empresa solicitou que ele encaminhasse a documentação para os setores responsáveis da empresa e logo após obter o “termo de arrematação” a vítima fez a transferência da quantia em nome do suposto leiloeiro.

A vítima chegou a consultar o CNPJ das empresas no site da Receita Federal e identificou que elas estavam ativas, porém, tentou contato com as empresas por telefone e Whatsapp, mas o homem não foi atendido.

Como funciona o golpe?

O golpe é perpetrado por meio de sites falsos, idealizados pelos criminosos, onde, normalmente, veículos caros são vendidos a preços abaixo do valor de mercado.

Com o objetivo de conferir credibilidade ao site, os criminosos também disponibilizam a documentação dos veículos, informações do seu estado de conservação, além de outros benefícios, tudo de forma a atrair cada vez mais as vítimas interessadas na aquisição.

Assim, após “vencer” o falso leilão, o cliente-vítima recebe uma carta de arrematação (como ocorre em leilões verdadeiros), juntamente, com uma ordem de pagamento a ser feito, via boleto, ou, então, por meio de depósito em contas bancárias, que são registradas em nome diverso do leiloeiro oficial, geralmente em contas de “laranjas”.

Desta forma, após o pagamento e recebimentos dos comprovantes de pagamentos enviados pelas vítimas, os criminosos desaparecem e o golpe é finalizado, por vezes com um prejuízo econômico vultoso.

Como evitar o golpe

Alguns cuidados podem ajudar a evitar uma cilada; veja alguns deles:

  • Cuidado nos sites de busca – Na hora de buscar por leilões na internet, lembre-se que as primeiras opções exibidas nos sites de busca são anúncios pagos. Os golpistas costumam usar essa tática para seus links chamarem a atenção das vítimas;
    • Procure leiloeiros conhecidos – Existem empresas sérias e estabelecidas no ramo dos leilões. Elas possuem escritórios e depósitos onde os itens leiloados são armazenados e podem ser visitados;
    • Leia os editais do leilão – Os editais trazem informações importantes sobre o leilão, como a origem dos itens leiloados, condições de pagamento, além de custos administrativos;
    • Agende uma visita – Outra informação que consta no edital é o dia e local de visitação para os itens que serão leiloados. Se não houver esta opção, desconfie;
    • Pesquise em sites de reclamações – Confira a reputação da empresa que está promovendo o leilão e veja se ela já recebeu denúncias sobre golpes e leilões falsos;
    • Portal leilaoseguro.org.br– O portal é uma iniciativa da Associação da Leiloaria Oficial do Brasil (Aleibras) e nele você pode verificar se uma empresa é de confiança ou trata-se de um golpe. A página também recebe denúncias e já registrou 2.453 sites falsos, de acordo com o jornal Zero Hora.

 

*Com informações de Jornal Contábil e Istoé Dinheiro

Comentários
COMPATILHAR: