A equipe econômica do governo vai prorrogar por três meses a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para artigos da linha branca ? geladeiras, tanquinhos, máquinas de lavar e fogões. O benefício, anunciado em dezembro, teve impacto grande em alguns produtos. A taxação sobre a geladeira despencou de 15% para 5% e a do fogão pulou de 4% para zero. O prazo previsto para o IPI reduzido era até 31 de março.
A avaliação é de que a medida ajudou na criação de empregos e incentivou o consumo. O êxito fez até que os técnicos cogitassem baixar o IPI de outros produtos. Para estimular o consumo, o governo pode alterar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o crédito. A alíquota atual é de 2,5% e pode ficar em 2% ou até 1,5%.
A desoneração da folha de pagamento é outra frente do governo para aquecer a economia. Com a medida, é possível aliviar os pesados encargos trabalhistas e facilitar a vida dos exportadores. A desoneração consiste em acabar com a cobrança de uma contribuição previdenciária de 20% sobre a folha em troca de um percentual entre 1,5% e 2,5% sobre o faturamento. Para os exportadores, no entanto, o faturamento sobre essa receita não é tributado. Isso significa que empresas que vendam toda a produção no mercado externo ficam livres de pagar sobre a folha e o faturamento.
O pacote ainda inclui medidas para travar a entrada predatória de importados e ampliar o crédito do BNDES para mais setores. As informações são do jornal O Globo.

Comentários